Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

OPERAÇÃO PÁSCOA

Pescados são analisados em laboratório

Pescados são analisados em laboratório
26/03/2011 00:02 - DA REDAÇÃO


Técnicos da Agência Estadual de Metrologia de Mato Grosso do Sul (AEM/MS), órgão delegado do Inmetro, analisaram nesta semana, no Laboratório de Pré-Medidos, pescados congelados recolhidos em supermercados, açougues e peixarias da Capital.

A atividade faz parte da “Operação Páscoa” e objetiva analisar quantitativamente os produtos, ou seja, verificar se a quantidade e o peso correspondem ao que está indicado na embalagem. O agente metrológico Alex Balero Lessa explica que os produtos primeiramente passam por uma pesagem, por meio de uma balança de precisão, que é feita para verificar o peso indicado na embalagem.

Em seguida, a amostra do pescado congelado é submergida em água com temperatura que varia de 19ºC a 21ºC, durante vinte segundos. Após isso a amostra é retirada e a água é escorrida durante 30 segundos. Desta maneira é possível identificar o percentual de gelo que estava no produto e determinar seu peso exato. Apenas o gelo em excesso é retirado das amostras, permanecendo o gelo necessário para a conservação do pescado.

A agência convida os representantes das marcas que serão analisadas no Laboratório para o acompanhamento. Quando acontece a irregularidade, a empresa é notificada e pode apresentar justificativa em dez dias.

A retirada do produto do comércio é imediata porque está lesando o consumidor. A empresa/indústria que colocar quantidade excessiva de água na embalagem do produto pode ser submetida a uma multa que varia de R$ 100 a R$ 100 mil.

No ano passado as verificações comprovaram que, em média, os consumidores adquiriram um percentual de 20% a 25% de gelo do conteúdo nominal do produto. Além do pescado, os tradicionais ovos de chocolates também serão analisados.

Serviço

Caso haja suspeita de qualquer problema no que diz respeito aos pescados congelados, o consumidor pode ligar para a Ouvidora do AEM/MS: 0800 67 52 20.

Fonte: Governo do Estado

Felpuda


Sindicalista defende o fim de mordomias e privilégios dos políticos e dos integrantes de outros Poderes, conforme divulgação feita por sua assessoria. Para ele, está na hora de se colocar um basta nessa situação, questionando, inclusive, o número de parlamentares e de assessores. Entretanto, não demonstra a mesma aversão por aqueles dirigentes de sindicatos que se perpetuam no poder e que comandam mais de uma entidade, assim como ele. Afinal, o exemplo deve vir de casa, né?