Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

Pescado do Estado perde espaço no exterior

Pescado do Estado perde espaço no exterior
25/08/2010 05:38 -


Carlos Henrique Braga

Mato Grosso do Sul ampliou venda interna e abate de pescados em 39% e 45%, respectivamente, na comparação entre os primeiros semestres de 2010 e 2009, segundo a Superintendência Federal de Agricultura (SFA). Na contramão, o volume exportado encolheu 30% no período. Segundo técnicos, Estados Unidos e Chile diminuíram as compras, principalmente da Tilápia, que sofre concorrência com o Pangasius, do Vietnã, e também por conta do câmbio desfavorável às exportações. No total, incluindo via marítima, foram exportados 85,3 toneladas, neste ano, contra 110,1 toneladas, no ano passado.
Até julho, 447,8 toneladas de filés, costelinhas e postas de Pintado, Pacu e Tilápia foram vendidas a São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande de Sul e Brasília. No mesmo período do ano passado, o mercado interno absorveu 322,4 toneladas.
O abate de peixes no frigorífico de Itaporã, único certificado pelo Serviço de Inspeção Federal (SIF) no Estado, passou de 730,5 toneladas para pouco mais de mil toneladas. Segundo a SFA, essa unidade também faz alevinagem e engorda das espécies que comercializa. A produção de alevinos para a safra 2010/2011 recebeu incremento de 253%  em relação ao ano passado, passando de 790 mil para mais de 2 milhões de alevinos de Pintado. O estabelecimento quer dobrar esse número.

Felpuda


O sumiço de algumas figurinhas carimbadas da política não acontece em virtude da necessidade de isolamento como uma das formas de prevenção à pandemia. Em verdade, seria porque não têm mesmo o que e a quem falar. Com o advento das redes sociais, quem acha que fazer campanha eleitoral continua como na época do “eu prometo” está a um passo de ver o sonho de conquistar mandato se transformar em pesadelo. Pelo jeito, não estão nem conseguindo dormir.