Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Percepção

18 MAR 10 - 07h:59RAPHAEL CURVO, JORNALISTA E ADVOGADO
A fala do presidente ao dizer que o governador governador paulista está inaugurando obras em maquete me levou a pensar nas obras do governo federal nestes oito anos. Penso e com sinceridade, não encontrei nenhuma obra que pudesse ser exaltada como magnífica. A maioria das universidades federais, por exemplo, inauguradas pelo presidente, estão inacabadas. Qual seria essa obra física concretizada, ou melhor, terminada que leva o presidente a emitir críticas contundentes ao opositor à sua “enteada política” nas próximas eleições? Um inaugura obra ainda em maquete e o outro, coisas inacabadas ou mal-acabadas. Como foi o caso dos apartamentos do programa “Minha casa, minha vida” nos subúrbios do Rio de Janeiro. Estas moradias, com as chuvas, obrigaram os moradores a usar guarda-chuvas dentro de casa. Isto sem falar nas rachaduras desses imóveis que tiveram a sua inauguração pelo presidente e “enteada” há pouco mais de 60 dias. Disse um pedreiro: “a pressa era tanta para inaugurar que deu nisso”. Esses infelizes proprietários vão ter ainda grandes despesas para manter o seu lar “em pé” e, com certeza, convivência diária com as goteiras, rachaduras e o medo delas. A lgu n s fa n át icos apoi adores do presidente dirão que está aí o pré sal, redenção do Brasil. Acontece que o pré sal é algo que a Petrobras já tinha em sua carteira de estudos de viabilidade desde os anos 70, quando foi descoberto o tal filão de petróleo. Todos sabem que os efeitos dessa exploração só virão pra lá de 2020. Outros dirão que o PAC 1 está aí para provar que o presidente faz. Pelos informes, foi atingida até agora apenas 38% da meta de obras estabelecidas e a grande maioria nem projeto tem. É preciso dizer que destas, uma grande parte da composição vem das obras que foram absorvidas pelo PAC 1, ou seja, já existiam, reduzindo a pouco mais de 21% aquelas realmente do projeto original do programa. E não é que dia 28 deste o presidente vai lançar mais um PAC? É bem verdade que o Brasil atravessa uma fase de grande expectativa positiva. Esta expectativa tem muito da propaganda governamental e de certos fatos que estão fora do alcance de algo consistente, sólido e de efeitos progressivos. Nosso PIB negativo, queda de 5% na indústria e 10% nos investimentos, e diz que é “marolinha”. O País avança celeremente para a desindustrialização, ou seja, estamos em declínio forte no processo industrial. A participação da indústria já está em meros 28% do PIB- Produto Interno Bruto. Estamos nos tornando um País de produção de commodities. O Brasil exporta matériaprima, sem valor agregado, e importa o produto acabado. Este tipo de economia não é geradora de empregos muito menos de qualidade. Não permite avanço de tecnologia de ponta e pesquisa. Impede o desenvolvimento de formação de mão de obra de alto grau de conhecimento e transforma o mercado de trabalho em gerador de empregos com exigência de baixa qualidade intelectual e péssimos salários. Estamos nos transformando em montadores de produtos industrializados lá fora. A tecnologia fica por lá. Presidente, o Sr. pisou no tomate na primeira fala sobre o preso político que morreu em Cuba. Ao comparar preso político com preso comum o Sr. pisou literalmente na merda. A sua fala Sr. Presidente, é de um asco sem precedente na história deste País e de uma “penosa fragilidade intelectual e com graves lacunas culturais”. O Sr. deu seu perdão a todos os crimes políticos cometidos no período militar, a todos as barbáries cometidas nos porões da ditadura ao justificar as ações do carrasco Fidel Castro. É duro imaginar que tudo aquilo que o Sr. representou nos anos militares era modo próprio, falso nas suas falas ao defender a liberdade, ardiloso nos seus objetivos, como grande parte da esquerda entreguista como sua “enteada”, que sonhava transformar Brasília, à época, na Moscou dos trópicos. O presidente disse que se todos os governantes do mundo fossem iguais a ele, tudo seria diferente. Demonstra estar em conflito político e de postura a olhos vistos. Está com comportamento agressivo e parece não aceitar largar o osso da presidência. As falas estão conflitantes com a realidade. Pense leitor. Temos que ter dos fatos, percepção.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

BRASIL

Judeus reclamam do uso de símbolos por Bolsonaro

BRASIL

Moro autoriza envio da Força Nacional para combater desmatamento

BRASIL

Evangélicos cobram transferência de embaixada em Israel

Caminhão derrama agrotóxico em rodovia e 'pinta' pista de vermelho
BRASIL

Caminhão derrama agrotóxico em rodovia e 'pinta' pista de vermelho

Mais Lidas