Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quarta, 14 de novembro de 2018

Negócio

Pequenas locadoras agonizam e dizem que estão perto do fim

8 JUL 2012Por Adriana Molina00h:00

“Desse ano não passa” é frase praticamente unânime nas respostas dos proprietários de locadoras de vídeo, quando questionados sobre como vai o negócio, em Campo Grande. Em meio à concorrência com pirataria, tv à cabo e internet, esse tipo de empreendimento parece dar seus últimos suspiros - fechar as portas têm sido ideia recorrente na cabeça de quem ainda está na atividade.

E a consolidação dessa ideia tem crescido. De acordo com dados da Junta Comercial de Mato Grosso do Sul (Jucems), entre janeiro e junho deste ano, quatro empresas do tipo foram extintas. O número parece pequeno, mas se comparado com 2011, pode-se entender o momento de crise, já que em todo o ano passado foram três locadoras fechadas formalmete no órgão.

Franciele Gomes, que está há mais de seis anos com uma locadora aberta no bairro Aero Rancho já deciciu: vai sair do ramo. “Eu e meu marido há quatro meses abrimos uma loja de móveis, que está indo bem. Vamos esperar apenas ela se firmar e, até o final do ano colocaremos o estoque de DVDs daqui à venda”, diz, ao contar que não dá para concorrer com a pirataria, que vende filmes à R$ 2, enquanto sua locação custa R$ 3,50.

Leia mais no jornal Correio do Estado

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também