Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Pequenas empresas estão entre as que mais procuram recursos de apoio à inovação

19 AGO 10 - 18h:30
     

A procura por recursos para aplicação na área de inovação tem partido mais de pequenas empresas, afirmou hoje (19) o ministro da Ciência e Tecnologia, Sergio Rezende, que participou do programa de rádio Bom Dia, Ministro.

"O maior número de projetos aprovados vem de pequenas empresas inovadoras, como na área de software e em biotecnologia", disse Rezende, se referindo às verbas de subvenção econômica, disponibilizadas pela Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

A subvenção econômica da Finep é um mecanismo de oferta de recursos não reembolsáveis para apoiar a inovação nas empresas. O edital nacional de 2010 foi lançado no valor de R$ 500 milhões. O objetivo é financiar projetos em seis áreas: tecnologias da informação e comunicação, energia, biotecnologia, saúde, defesa e desenvolvimento social. Na área de energia, por exemplo, podem ser apresentadas propostas para a criação do carro elétrico.

Empresas de qualquer porte podem se candidatar. Entretanto, 40% dos recursos devem ser destinados a pequenas e microempresas. O valor mínimo por projeto é de R$ 500 mil e o teto, R$ 10 milhões. As instituições interessadas têm até o dia 7 de outubro para preencher o formulário, que estará disponível no site da Finep a partir do dia 31 de agosto.

De acordo com balanço do ministério, desde 2006, a Finep já aplicou mais de R$ 1,7 bilhão em subvenção econômica, atendendo 2,6 mil empresas.

Apesar de destacar a procura das empresas pelo financiamento, o ministro Sergio Rezende apontou o crescimento da inovação no setor privado como o desafio na área de ciência e tecnologia para os próximos anos. Para o ministro, a cultura entre o empresariado brasileiro de investir em produção tecnológica ainda é tímida, porque, durante anos, as políticas de ciência e tecnologia e a industrial não eram aliadas e não existiam mecanismos de estímulo.

"Essa [inovação] é a chave para as empresas brasileiras se tornarem competitivas, ganharem mercado e se internacionalizarem. Elas estão avançando nesse setor, mas é preciso mais", afirmou.

Durante o programa, o ministro falou ainda da inauguração, prevista para este ano, de um centro nacional de pesquisas do Pantanal, com sede em Cuiabá (MT).

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CRISE

Sem acordo com oposição, Bolívia pode ter eleições por decreto

Mais de 36 mil jovens precisam se vacinar contra o sarampo em MS
CAMPANHA DE VACINAÇÃO

Mais de 36 mil jovens precisam se vacinar contra o sarampo em MS

TRIBUTÁRIA

Governo enviará ao Congresso proposta de reforma com imposto sobre consumo

Idosa de 84 anos é presa por dirigir bêbada e quase causar acidente
BR-163

Idosa de 84 anos é presa por dirigir bêbada e quase causar acidente

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião