Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Pela primeira vez em 15 anos, cai o número de pessoas que passam fome no mundo

14 SET 10 - 11h:45
     

Pelo menos 925 milhões de pessoas sofrem de fome crônica no mundo, das quais 16% vivem em países em desenvolvimento na África e Ásia. Um estudo divulgado hoje (14) mostra que, pela primeira vez em uma década e meia, caiu o número de pessoas famintas no mundo. Mas o documento alerta que cerca de 19 milhões ainda sofrem de desnutrição grave com risco de morte.

A conclusão é do relatório O Estado da Insegurança Alimentar no Mundo (cuja sigla em inglês é Sofi), divulgado pela Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e pelo Programa Alimentar Mundial (PAM). O alerta é que a alta dos preços dos alimentos pode impedir avanços no combate à fome no mundo.

Em comparação a 2009, houve uma redução de 9,6% no número de famintos no mundo. No ano passado, havia 1,023 bilhão de pessoas nesse grupo. Apesar da queda, há dados alarmantes, como o fato de a cada seis segundos uma criança morrer no mundo em decorrência de doenças causadas pela desnutrição.

"A fome continua sendo a maior tragédia e escândalo do mundo", afirmou o diretor-geral da FAO, Jacques Diouf. "Isso é absolutamente inaceitável", disse ele, alertando que a meta de redução do número de famintos no mundo corre risco em decorrência da alta do preço dos alimentos.

Para a diretora executiva do PAM, Josette Sheeran, a ação dos governos têm sido eficiente, mas isso não significa que é suficiente. "Não é hora de relaxar. Devemos manter o combate à fome no esforço de tentar a estabilidade e a proteção de vidas com dignidade", disse ela.

A meta, fixada pelos países que integram a Organização das Nações Unidas (ONU), é reduzir em 20% o total de pessoas que passam fome no mundo até 2015. O objetivo é fazer que o número caia de 925 milhões para 400 milhões nos próximos cinco anos.

No ano passado, a FAO lançou uma campanha mundial de combate à fome. A iniciativa conseguiu a adesão de mais de meio milhão de pessoas, que assinaram um documento destinado às autoridades mundiais, apelando para que executem ações efetivas que resolvam o problema da fome. A campanha está no ar no site do organismo.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

PREVIDÊNCIA

Militares terão que trabalhar 35 anos para se aposentar, prevê PL

CCJ da Câmara aprovou a redação final do PL dos militares
Cidade do Natal será aberta em dezembro com shows e roda gigante
CAMPO GRANDE

Cidade do Natal será aberta em dezembro com shows e roda gigante

Bolsonaro assina carta <br>de desfiliação do PSL
OFICIALIZOU SAÍDA

Bolsonaro assina carta
de desfiliação do PSL

Inauguração da nova rua 14 de Julho terá atração nacional
REVIVA CAMPO GRANDE

Inauguração da nova 14 de Julho terá atração nacional

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião