INFRAESTRUTURA

Pedágio nas rodovias estaduais em MS custará R$ 4,38, revela Giroto

Pedágio nas rodovias estaduais em MS custará R$ 4,38, revela Giroto
12/02/2014 09:00 - Patricia Belarmino


O pedágio nas 11 rodovias estaduais que serão repassadas à iniciativa privada deve ser semelhante ao da BR-163, no valor de R$ 4,38 para cada 100 quilômetros rodados. Conforme matéria publicada na edição de hoje (12) do jornal Correio do Estado, o anúncio foi feito pelo secretário de Estado de Obras Públicas, Edson Giroto, durante visita à Assembleia Legislativa, na manhã de ontem, para explicar aos deputados o projeto de privatização encaminhado ao Legislativo, na semana passada.

Rodovias em que o fluxo diário superar cinco mil veículos também terão de ser duplicadas. As primeiras que devem se encaixar nesta situação são as vias que ligam Costa Rica a Alcinópolis (MS-135) e Iguatemi a Juti (MS-180). Esta última é uma opção para quem trafega na região sul do Estado e quer cortar caminho. Pela MS-180, é possível pegar a BR-163 somente em Naviraí.

A decisão de privatizar determinados trechos de rodovias estaduais surgiu depois do anúncio do governo federal de entregar à iniciativa privada todo o trecho sul-mato-grossense da BR-163. Os 847 quilômetros da rodovia foram leiloados em dezembro e o grupo CCR foi o vencedor, com a proposta de pedágio de R$ 4,38, deságio de 52% em relação ao teto estabelecido pela Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT). A reportagem é de Patrícia Belarmino.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".