sábado, 21 de julho de 2018

FRIALTO

Pecuaristas se mobilizam para receber R$ 19 milhões em MS

21 OUT 2010Por Portal Beef Point13h:20

O Frialto que paralisou suas atividades em Mato Grosso do Sul em maio neste ano na cidade de Iguatemi e mais 12 estados no mês passado, realizou hoje pela manhã em Sinop (MT) assembleia com os credores onde apresenta dois cenários para o pagamento dos fornecedores estratégicos, onde estão os pecuaristas, como possíveis propostas do Plano de Recuperação Judicial. No país são 1.203 pecuaristas credores que esperam o desfecho de um processo que irá garantir o pagamento, por parte do frigorifico Frialto, de R$ 95.041.779,12. A maior parte dessa dívida é com os pecuaristas de Mato Grosso, corresponde a 50,37% do débito (R$ 47.874.301,27) e será recebida por 49,37% dos credores, totalizando 594 pecuaristas, divididos nas regiões Oeste (1 município), Noroeste (4 cidades), Norte (17), Nordeste (2), Médio Norte (6), Arinos (3), Centro Sul (3) e região Sudeste (1). Somente em MS são 217 credores e R$ 19 milhões em débitos pendentes.

"O pecuarista de Mato Grosso está descapitalizado, pois os frigoríficos deteem mais de R$ 200 milhões de seu capital. Não podemos ficar de braços cruzados e assistir a tudo isso sem tomar uma atitude. O pecuarista tem que se unir para encontrar a melhor maneira de receber esse dinheiro, para não aumentar, ainda mais, seu prejuízo", comentou o superintendente da Associação dos Criadores de Mato Grosso - Acrimat.

O grupo Frialto composto pelas sociedades Vale Grande Indústria e Comércio de Alimentos S.A., Agropecuária Ponto Alto LTDA. e Urupuá Indústria e Comércio de Alimentos LTDA tem contas a acertar também com produtores de outros Estados. Em Rondônia (RO) R$ 18.083.374,27 com 296 credores; Pará (PA) R$ 5.305.803,00 com 66 credores; Paraná (PR) R$ 3.443.563,42 com 21 credores; São Paulo (SP) R$ 3.875.460,03 com 18 credores; Minas Gerais (MG) R$ 135.186,17 com 2 credores; Santa Catarina (SC) R$ 678.463,01, com 1 credor; Goiás (GO) R$ 611,707,06 com 1 credor; Amazonas (AM) R$ 337, 069,81 com 1 credor; Maranhão (MA) R$ 46.732,17 com 1 credor; e Rio Grande do Sul (RS) R$ 37.943,40 com 1 credor.

Reunião

Nas propostas apresentadas hoje estão na primeira hipótese a empresa retomar suas atividades sem novos financiamentos. Neste cenário a proposta é de que após a homologação do Plano na Assembleia Geral dos Credores cada Credor Estratégico cujo crédito não seja superior a R$ 25.000,00 será pago integralmente 5 dias depois; aos demais credores, 10% do saldo devedor a cada credor 35 dias depois; 50% do saldo devedor seriam pagos em 11 parcelas mensais; e o saldo restante (40%) pago em 12 parcelas mensais, somando 2 anos para quitar o débito.

Na segunda hipótese, o frigorifico prevê a continuidade das operações com financiamentos no valor de R$ 50.000.000,00. Nesse caso, após a homologação do Plano na AGC, cada Credor Estratégico cujo crédito não seja superior a R$ 25.000,00 será pago integralmente 5 dias depois; aos demais credores pagamento de 10% do saldo devedor 35 dias após o pagamento previsto aos que receberam integralmente; 10 dias após o desembolso do valor do financiamento, pagamento de 50% do saldo devedor; e o saldo restante pago em 11 parcelas mensais.

Leia Também