Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Paulo Lacerda teve acesso aos grampos telefônicos

26 NOV 08 - 20h:27
     

Brasília

 

Ao prestar depoimento ontem na CPI dos Grampos, na Câmara, o agente da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) Márcio Seltz disse que o diretor-geral afastado do órgão, Paulo Lacerda, teve acesso ao conteúdo de parte dos grampos telefônicos realizados na Operação Satiagraha. Segundo versão do analista da Abin, ele entregou a Lacerda, inclusive, cópia de áudios captados por escutas telefônicas de alguns dos investigados pela Polícia Federal (PF).

 

A reunião, relatou Seltz aos deputados, teria ocorrido em junho, e também contou com a presença do então diretor-adjunto, José Milton Campana. "(Os áudios) falavam a respeito da imprensa. Entreguei cópia do arquivo a ele (Lacerda)", afirmou o agente. Por meio da assessoria de imprensa da Abin, Lacerda negou ter recebido cópia de áudios e transcrições. O diretor-geral afastado confirmou a reunião com Seltz e disse que o encontro era para "orientação". Segundo a Abin, Setlz levou um relatório "de fontes abertas" debaixo do braço, mas que não chegou a ser visto por Lacerda.

 

Em depoimento à CPI, em agosto, Lacerda negou ter conhecimento de que a PF realizou grampos durante a Satiagraha.

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

'Zeca é como se fosse o Lula para a gente', diz Cabo Almi

'Zeca é como se fosse o Lula para a gente', diz Cabo Almi

Regras de vistoria mudam e 80% dos comércios serão dispensados
CERTIFICADO

Regras mudam e 80% dos comércios serão dispensados de vistoria

Mesmo com horário estendido, postos ficam vazios e UPAs lotadas
SOLUÇÃO

Mesmo com horário estendido, postos ficam vazios e UPAs lotadas

Oito municípios de MS vão receber visita da Unesco em programa do Governo Federal
ASSISTÊNCIA SOCIAL

Oito municípios de MS vão receber visita da Unesco

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião