Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, terça, 11 de dezembro de 2018

Gaúcho

Patrocinador sugere contratação de Renato

15 MAR 2011Por terra17h:33

O nome do técnico Renato Gaúcho ganhou força nas últimas horas e entrou na lista de cotados para assumir a vaga deixada por Muricy Ramalho no Fluminense. O presidente da Unimed (patrocinador de camisas do clube), Celso Barros, simpatiza com o treinador do Grêmio, de quem é amigo pessoal, e sugeriu ao presidente do time tricolor, Peter Siemsen, a contratação como uma alternativa.

Apesar de bancar o salário das principais estrelas do Fluminense, a Unimed estaria deixando inicialmente a decisão a cargo de Siemsen, que não tem nada contra o treinador, porém tem outros nomes em sua predileção.

O favorito é Dorival Júnior, mas a contratação do treinador do Atlético-MG é considerada muito difícil. Segundo pessoas próximas ao presidente tricolor, o Fluminense busca um técnico emergente e com perfil de "estudioso do futebol". Nesta linha, estariam Caio Júnior e Adilson Batista, que foi demitido recentemente pelo Santos.

Renato Gaúcho já trabalhou nas Laranjeiras algumas vezes e é ídolo no Fluminense, no qual teve como ponto mais alto o famoso gol de barriga no título Estadual de 1995, diante do Flamengo. Como treinador, foi vice-campeão da Copa Libertadores da América de 2008, vencida pela LDU, do Equador.

Reformas no departamento de futebol

O Fluminense também procura um homem para assumir a diretoria executiva de futebol. Ainda como candidato, o presidente Peter Siemsen tentou a contratação de Rodrigo Caetano, dirigente do Vasco, mas o nome cogitado no momento é o de Felipe Ximenes, do Coritiba. O mandatário tricolor pode buscar uma alternativa interna no clube para agradar correntes políticas que o apoiaram na eleição presidencial, e criar um cargo remunerado para profissionalizar o departamento de futebol.

O advogado Mario Bittencourt, que na gestão anterior chegou a ser supervisor de futebol, depois de ser advogado do clube na Federação Carioca de Futebol (Ferj) e no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), vai assumir o cargo de assessor da presidência do Fluiminense. Ele será uma espécie de anteparo de Siemsen, que vem sendo muito criticado pelas mudanças no futebol e pela má campanha na Libertadores.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também