DO TOSTÃO A MILHÃO

Patrimônio de candidatos passa de R$ 108 milhões

Patrimônio de candidatos passa de R$ 108 milhões
08/07/2010 08:06 -


Maria Matheus

O patrimônio dos candidatos à eleição majoritária em Mato Grosso do Sul soma R$ 108 milhões. Dentre os candidatos a governador, vice, senador e suplente, o mais rico é Pedro Chaves (PSC), cuja fortuna totaliza R$ 69,3 milhões. Ele concorre como primeiro-suplente do senador Delcídio do Amaral (PT), que busca a reeleição. O contraste fica por conta dos candidatos do PSOL, Jorge Batista e seus dois suplentes na disputa pelo Senado, Ubiracy dos Santos (Bira) e Paulo Benites. Eles declararam não ter bens.
O vice-governador Murilo Zauith (DEM) ocupa o segundo lugar no ranking dos milionários, com R$ 7,3 milhões. Ele tenta vaga ao Senado. Assim como Pedro Chaves, Zauith acumulou riquezas no ramo da educação. O democrata é sócio do Centro Universitário da Grande Dourados (Unigran).
Em terceira colocação está o governador André Puccinelli (PMDB), com R$ 5,3 milhões. Seu principal adversário na disputa pelo Governo, José Orcírio dos Santos (PT), ocupa a 9ª posição do ranking, com quase R$ 2,3 milhões em bens.
A esposa de Orcírio, Gilda dos Santos (PT), declarou patrimônio total de R$ 2,3 milhões. Assim, alcançou a 8ª posição na lista dos mais ricos. Na frente dela estão os candidatos ao Senado na chapa encabeçada pelo PT: Delcídio (7º), com R$ 2,5 milhões, e Dagoberto Nogueira (6º), R$ 2,8 milhões.
Embora médico e deputado federal por três mandatos, Moka ainda não conseguiu acumular meio milhão. Ele declarou bens que totalizam quase R$ 341 mil.
A ex-prefeita de Três Lagoas Simone Tebet (PMDB), candidata a vice de Puccinelli, declarou patrimônio de R$ 5,2 milhões, o quarto maior dentre os candidatos que concorrem nas chapas majoritárias.
Tatiane Ujacow (PV), vice de Orcírio, declarou bens que somam R$ 1,5 milhão, o que a levou à 10ª posição no ranking dos mais ricos.
 
Suplentes
Cinco candidatos a suplente estão na lista dos milionários: Pedro Chaves, Gilda, o vice-prefeito de Campo Grande, Edil Albuquerque, Gino Ferreira (DEM) e a primeira-dama de Campo Grande, Antonieta Trad (PMDB).
Edil acumulou R$ 1,3 milhão e ocupa a 11ª posição na lista dos abastados. Gino e Antonieta Trad, suplentes do deputado federal Waldemir Moka (PMDB) na disputa pelo Senado, informaram à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 5,1 milhões (5ª) e R$ 1,3 milhão (12ª), respectivamente.
Pedro Chaves é de longe o mais rico entre os candidatos. Economista, foi proprietário da Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal (Uniderp) e é sócio do colégio Mace. O empresário aplicou quase a metade de sua fortuna no mercado financeiro.
Os valores declarados pelos candidatos, em geral, não são atualizados.

Serviço
Os dados detalhados da declaração de bens dos candidatos estão disponíveis no site do Tribunal Superior Eleitoral (http://www.tse.gov.br/internet/eleicoes/eleicoes_2010, no link Divulgação de Candidaturas).
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".