SÃO PAULO

Pato prevê<br> dificuldade<br> para estreia

Pato prevê<br> dificuldade<br> para estreia
03/03/2014 00:00 - terra


Alexandre Pato está ansioso para estrear com a camisa do São Paulo. Há cerca de duas semanas treinando no clube, o jogador não pode mais atuar no Campeonato Paulista (atingiu o limite de jogos pelo Corinthians), e vai ter de esperar a Copa do Brasil, no próximo dia 12, para iniciar a trajetória no tricolor.

O camisa 11 vem treinando bem, mas ainda está adquirindo ritmo de jogo. Até por isso, ele diz que pode sentir na estreia, mas manda um recado para o torcedor:

"Tenho me preparado bastante. Caso seja escolhido para o jogo em Maceió, darei o máximo para ajudar a equipe. Vou adquirindo ritmo de jogo aos poucos e posso até sentir alguma dificuldade, mas o torcedor pode ter certeza de que não faltará empenho. Quero muito aproveitar as chances que aparecerem", avisou Pato, em entrevista ao site oficial do clube.

Pato disse que tem procurado aproveitar ao máximo o período de treinamentos. Ele tem se destacado nas atividades, geralmente marcando gols. O desempenho já rendeu elogios do técnico Muricy Ramalho e dos companheiros. Agora, é esperar para jogar.

"Esse tempo de preparação tem sido importante, porque quero fazer aquilo que gosto novamente: jogar futebol. Tento aproveitar ao máximo os treinamentos e, assim, diminuir a ansiedade da estreia. Sei que é preciso ter paciência, mas estou aproveitando esse período para me adaptar ao clube e aos novos companheiros", afirmou o atacante.

A estreia de Pato deve ser em Maceió, Alagoas, contra o CSA. Será o primeiro adversário do São Paulo na Copa do Brasil, no dia 12 deste mês.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".