Campo Grande - MS, quarta, 15 de agosto de 2018

EUCARISTIA

Páscoa remete à reflexão e celebração da fé e da vida

23 ABR 2011Por Laís Camargo 12h:20

São quase dois meses de preparativos, comemoração e reverências. Da Quaresma à Páscoa (amanhã) são situações das mais diversas. Para o comércio, aumento nas vendas; em alguns lares, boa comida e festa. Para muitos é um tempo de reflexão, esperança e alegria.

 

O padre Adailton Miorin fala sobre o início da Quaresma à Paixão de Jesus Cristo que é relembrada neste período da Semana Santa, até a sua Ressurreição.

Quaresma

Quarenta dias antes inicia-se a quaresma, relembrando e celebrando o tempo em que Cristo se prepara sobretudo espiritualmente para o inicio de sua vida pública. E esse tempo de preparação, nos diz a palavra de Deus, que ele se retira para o deserto e no deserto há o encontro com Deus. Ele é tentado e faz uma verdadeira experiência com o Pai.

 

Domingo de Ramos

A Semana Santa tem o seu início com o domingo de ramos, onde toda a igreja lembra, celebra a entrada triunfante de Cristo em Jerusalém, é a última viagem que ele faz, porque lá ele é condenado, morto e sepultado. Ao entrar em Jerusalém ele é aclamado por todo o povo, que o saúda com ramos de oliveira, com seus mantos, aclamando o rei, reconhecendo nele o messias, o filho de Deus. Nós enquanto igreja, depois de 2000 anos, lembramos aquele momento com a celebração do ramos, onde os nossos ramos são abençoados e saímos em procissão, que depois é concluída com a missa e todo o povo também, como naquela ocasião, com seus ramos saúda o Cristo, Jesus.

Segunda, terça e quarta-feira

Depois, dentro da Semana Santa, na segunda, na terça e na quarta-feira são celebradas em várias paróquias, em vários lugares, a via sacra, as procissões penitenciais, a procissão do encontro, lembrando o encontro do filho carregando a cruz com a Virgem Maria, a mãe dolorosa, Nossa Senhora das Dores.

 Quinta-feira Santa

É celebrada a instituição da eucaristia, onde Cristo antes de ser entregue, reúne-se com seus apóstolos e ceia com eles.

Aquela ceia torna-se diferente. Cristo parte o pão e dá ao seus apóstolos dizendo "isto é o meu corpo". Toma do cálice, entrega também aos seus apóstolos e diz "isto é o meu sangue". A eucaristia não é uma representação, um simbolismo, é verdadeiramente o corpo e sangue do Senhor.

Cristo também se inclina e lava os pés dos seus apóstolos em sentido de humildade e serviço. Diz a eles "vocês que são meus seguidores, vão e façam a mesma coisa". Na missa de Quinta-feira Santa nós lembramos deste momento, por isso é também também chamada Missa do Lava Pés, onde o sacerdote passa lavando os pés de 12 pessoas, membros da comunidade, lembrando aquele ato outrora feito pelo próprio Cristo.

 Sexta-feira Santa

Terminando a missa, inicia-se o silêncio, porque já recordamos a partir daquele momento a Sexta-Feira Santa, que para nós cristãos católicos é um momento importante, especial de veneração, que lembramos e celebramos a entrega, a condenação, a dor, a paixão e morte do Senhor. Às 18h toda igreja lembra a morte de Jesus com a Celebração do Silêncio, da Paixão e morte de Cristo. Em muitos lugares, acontece também a Procissão do Senhor Morto.

 

Sábado de Aleluia

 No sábado, a igreja proclama a ressurreição do Senhor, aquele a quem confiamos, aquele a quem depositamos a nossa fé, ressuscitou. Não mais está preso entre a trevas, não mais está preso no sepulcro, nem está pregado à cruz. Ressuscitou verdadeiramente. Então a igreja proclama com a vigília pascoal, que é a mais importante de todas as celebrações. Não podemos celebrar a paixão e morte de Cristo e deixá-lo trancado no sepulcro, devemos celebrar sobretudo a sua glória, a sua vida, a sua ressurreição.

 

Mas a ressurreição não acontece no domingo?

 Liturgicamente, à noite já se celebra o dia seguinte. Nos dizem as sagradas escrituras, que as mulheres chegaram de madrugada no túmulo e já o encontraram aberto. No sábado a noite celebramos a ressurreição. É a mais importante de todas as missas, também chamada missa da luz, tem a bênção do fogo, das velas, da água. É uma missa muito especial. No domingo de páscoa temos as celebrações festivas, as celebrações de Páscoa.

 As imagens como por exemplo, o Cristo carregando a cruz, o Senhor dos Passos; a Virgem Dolorosa, Nossa Senhora das Dores, a imagem do Cristo morto, são usadas apenas na Semana Santa.

 

 

Assista ao vídeo:

 

Programação Cultural

No Centro de Convenções do Idoso (CCI) Vovó Ziza, está marcado o Baile de Aleluia no sábado (23), das 13h às 17h .

Leia Também