Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, segunda, 19 de novembro de 2018

Parto normal é regra na rede pública

6 FEV 2010Por 13h:30
     

        Da redação

        No SUS, ao contrário dos hospitais privados, a regra é o parto normal. "Não existe cesariana a pedido", conta Melania Amorim. A médica, referência em parto humanizado, coordena uma maternidade pública na cidade de Campina Grande, na Paraíba.
        "O SUS tem um programa de assistência humanizada, mas são experiências pontuais, acessíveis a poucos usuários. O comum é o que chamamos de parto Frankenstein, ou seja, cheio de intervenções, o que torna a experiência traumática para a mulher "
        O obstetra Marcos Tadeu, que coordena a maternidade do Hospital Ipiranga, em São Paulo, revela que nem mesmo a anestesia é uma opção sempre disponível, por falta de recursos.
        Para Olímpio Moraes Filho, o parto vaginal, assim como a cesárea, deve ser uma opção e não obrigação. "Parto é como sexo. Pode ser muito bom, mas também pode ser uma agressão."  (do Estadão)

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também