Segunda, 19 de Fevereiro de 2018

2011

Partidos se articulam para formar blocos

6 NOV 2010Por AGÊNCIA CÂMARA16h:43

Partidos já começam a se articular para tentar garantir, na nova legislatura, espaço na Mesa Diretora da Câmara e as presidências das comissões permanentes que julgam mais importantes. O Regimento Interno leva em conta os tamanhos das bancadas de partidos ou blocos partidários para distribuir esses cargos. Por isso, líderes de legendas como o PP e o PR confirmam que já acertaram a formação de um bloco.

O líder do PR, deputado Sandro Mabel (GO), diz que o bloco pode crescer: "Já acertamos com o PP, e o PTB depende da consulta do líder Jovair Arantes (GO) aos seus deputados. Se nós formarmos um bloco PP-PR, seremos 82 parlamentares. Se estivermos também juntos com o PTB, seremos 103".

O líder do PP, deputado João Pizzolatti (SC), acredita que um acordo com o PTB sairá em até duas semanas. Ele avalia que os blocos são uma forma de alçar os partidos pequenos ou médios a posições mais importantes no processo legislativo. "Assim, eles podem buscar espaços e competir em igualdade com os partidos maiores em comissões, em relatorias e na Mesa, ou seja, na ocupação de espaço no Congresso. Isso permite entrar no jogo como gente grande", ressalta.

Esquerda
O líder do PSB, deputado Rodrigo Rollemberg (DF), informa que ainda não houve formalmente uma negociação com o PDT, o PCdoB e o PRB para a formação de um bloco a partir de 2011. Porém, ele diz que a união vem sendo defendida por parlamentares dessas legendas, e considera que a estratégia faz sentido porque esses partidos têm identidade política.

"Isso foi demonstrado ao longo da atual legislatura. Estivemos juntos durante os dois primeiros anos e o PDT saiu no fim do segundo ano, mas os outros continuaram em bloco. A nossa atuação conjunta garante uma participação de maior qualidade nas comissões temáticas. Portanto, é uma questão a ser analisada", definiu.

Indefinição
O PT e o PMDB, que elegeram as maiores bancadas, não iniciaram nenhuma discussão para a formação de blocos, segundo suas assessorias. O mesmo ocorre com três partidos atualmente na oposição — PSDB, DEM e PPS.

A costura política deve ganhar força nos próximos meses, já que os brasileiros elegeram deputados federais de 22 legendas para os próximos quatro anos.

Leia Também