Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Parlamento ucraniano nomeia presidente interino

23 FEV 14 - 11h:17FOLHAPRESS

O Parlamento da Ucrânia designou hoje como presidente interino do país Oleksander Turchynov, chefe da Rada Suprema. Braço direito da ex-primeira-ministra Yulia Timoshenko --que foi libertada ontem depois de passar 30 meses na prisão--, ele fica no cargo até as eleições marcadas para 25 de maio. A nomeação de Turchynov, aprovada por 285 dos 339 deputados presentes no plenário, ocorre um dia após o presidente Viktor Yanukovich ter sido destituído por abandono de suas funções.

Turchynov tem até a próxima terça-feira para formar um governo de unidade nacional, que será responsável por organizar as eleições e por tentar cicatrizar as feridas abertas pela crise política, que, desde novembro passado, deixou pelo menos 80 mortos e aprofundou ainda mais a divisão do país, que passa por uma grave situação financeira. O centro de Kiev, que durante a semana praticamente virou uma praça de guerra, parecia recuperar o ar de normalidade, apesar da presença das forças de segurança e das barricadas dos manifestantes.

Em Maidan (praça da Independência) a sensação era de alívio e cautela. Um grupo cantava o hino nacional e alguns gritavam "Glória à Ucrânia". Nas proximidades, as lojas, que permaneceram fechadas nos últimos dias, começaram a abrir as portas. Ao mesmo tempo foram registrados saques na sede do Partido Comunista, aliado do partido de Yanukovich no Parlamento, e a fachada do prédio foi pintada com palavras como "criminosos", "assassinos", "escravos de Yanukovich". Desde o início da semana, quase 40 estátuas de Lenin foram derrubadas ou destruídas, principalmente na região leste do país.

Na luxuosa residência do presidente deposto foram encontrados documentos que detalham um sistema de subornos organizado e uma lista de jornalistas que deveriam ser vigiados.
A casa, que será restituída ao Estado por decisão do Parlamento, permaneceu aberta durante a noite para que os cidadãos pudessem constatar o luxo e a suntuosidade do lugar, considerado o símbolo da corrupção do regime. Apesar da crise do país estar na agenda da reunião de ministros das Finanças do G20, hoje, em Sydney, o comunicado final não fez qualquer menção ao país. Jack Lew, secretário do Tesouro americano, no entanto, afirmou que os Estados Unidos e outros países estão dispostos a ajudar a Ucrânia "em seus esforços de voltar à democracia, estabilidade e crescimento".

A comunidade internacional teme que a crise tenha aprofundado a divisão entre o leste, de língua russa e pró-Moscou, majoritário, e o oeste nacionalista de língua ucraniana.
Em Kharkiv, cidade do leste do país, as autoridades locais questionaram a legitimidade do Parlamento ucraniano. A região terá manifestações pró-Rússia.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Fernandinho Beira-Mar é transferido para presídio de Campo Grande
NARCOTRAFICANTE

Beira-Mar é transferido para Campo Grande

STF

Justiça nega liberdade a hackers de celular de Moro e Dallagnol

Gerente de banco desviou R$ 1,2 milhão da conta de cliente
CAMPO GRANDE

Gerente de banco desviou R$ 1,2 milhão da conta de cliente

Dólar dispara com corte de juros e vai a R$ 4,16
MERCADO FINANCEIRO

Dólar dispara com corte de juros e vai a R$ 4,16

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião