domingo, 22 de julho de 2018

CAPACITAÇÃO

Parceria com o Canadá quer melhorar hospitais de MS

3 DEZ 2010Por karine cortez00h:00

Dezenove hospitais de Mato Grosso do Sul terão seu desempenho avaliado por profissionais treinados pelos especialistas em saúde da Universidade de Montreal, localizada no Canadá, que estão em Campo Grande. “Serão observados o cumprimento dos objetivos, a adaptação às necessidades da unidade e dos pacientes, manutenção de valores perante a população e a própria produção hospitalar. Decidimos investir mais nessas 19 unidades para que elas atuem efetivamente como referência, resolutividade e não mandem o que não for necessário para as macrorregiões, que são Dourados, Três Lagoas e Campo Grande”, explicou a secretária estadual de Saúde e presidente do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Beatriz Dobashi.

No total serão capacitados 35 profissionais entre auditores e técnicos hospitalares. O treinamento, que teve início ontem, segue até amanhã e está sendo coordenado pelo professor-titular da administração em saúde da Universidade de Montreal, no Canadá, Andrè Pierre. Também participam dos trabalhos quatro professores da mesma universidade. “Estamos aqui para desenvolver ferramentas que possam ajudar a direção dos hospitais e também a Secretaria de Estado de Saúde a fazer essa reforma do sistema hospitalar”, disse Pierre. Segundo ele, os métodos aplicados na capacitação já foram desenvolvidos em outros estados do Brasil, em Goiás por exemplo, e em outros países. “Nossa experiência indica que o trabalho dá certo e já foram comprovados pela Universidade de Montreal”.

Planejamento
O trabalho de avaliação e aplicação de estratégias para melhoria do sistema de saúde terá duração de um ano. De acordo com a secretária de Saúde, a partir do próximo mês até janeiro de 2011 serão elaboradas as fichas com os pontos a serem avaliados. De fevereiro a março serão coletados os dados nos hospitais. Nos meses de abril, maio, até 20 de junho será montado o relatório preliminar dos trabalhos. No fim de junho, os professores do Canadá voltam a Mato Grosso do Sul e vão analisar o que foi feito. “Nesse período faremos os ajustes necessários com o auxílio dos especialistas e, em seguida, eles levarão nosso relatório para avaliar com outros especialistas no Canadá durante os meses de julho, agosto e setembro”, explicou Beatriz.

Em outubro, os professores retornam ao Estado para apresentar o relatório final elaborado por eles e apontando as melhorias a serem adotadas. “Vamos repassar tudo às demais autoridades em saúde e dar conhecimento do resultado à população. Usaremos os resultados como nossa ferramenta de trabalho”, disse a secretária.

Dificuldades
O especialista Andrè Pierre fez questão de ressaltar que as dificuldades enfrentadas em Mato Grosso do Sul, como demora no atendimento nas unidades de urgência e emergência, falta de profissionais médicos e demora na realização de exames, não são peculiaridades do Estado. “É um dos pontos em comum que estamos compartilhando com Mato Grosso do Sul e por isso estamos desenvolvendo essas ferramentas que vão instrumentalizar de um jeito novo as pessoas responsáveis pela saúde deste Estado”, enfatizou.

Leia Também