Domingo, 10 de Dezembro de 2017

ABANDONO

Paralisação de obra de drenagem agrava erosão no Portal Caiobá I

22 FEV 2014Por daniel campos16h:30

Obras de esgoto pluvial que deveriam conter as frequentes erosões do Portal do Caiobá I, região sul de Campo Grande, estão abandonadas há quase um ano, denunciam moradores. O que era para ser a solução dos problemas existentes no bairro está contribuindo para que a erosão aumente. No período das chuvas, as crateras voltaram a aparecer e o solo começou a ceder no bairro.

O motivo da paralisação das obras, segundo os moradores, seria a existência de uma casa no final da Rua Ilha de Marajó, que emperra a realização dos trabalhos.
A dona da casa Maria Ilda Santos disse que a prefeitura iria apresentar uma proposta para uma nova residência para a sua família, entretanto, nesse período de quase um ano, a administração não retornou os contatos. “Eles iam apresentar um projeto para gente, mas não voltaram”, conta Maria Ilda, que afirma que só sairá de sua residência se tiver outra para morar.

A pensionista Junivaldete Castro Dias, 75 anos, se sensibiliza com a situação da família de Maria Ilda. Ela acredita que eles só devem sair quando a prefeitura oferecer uma casa nova, mas que, enquanto isso não acontece, “infelizmente”, quem sofre com esse imbróglio são todos os moradores do bairro.

Jurerê

Praias conhecidas em todo o Brasil, seja pela sua beleza, seja pela ostentação financeira, Urca e Jurerê não têm a mesma exuberância em Campo Grande, nos bairros que levam seus respectivos nomes. Nestes pequenos loteamentos localizados na região do Monte Castelo, os moradores reclamam do descaso com áreas públicas e particulares desabitadas, que viraram depósitos de entulhos. Moradores reclamam da crescente infestação de baratas, cobras e escorpiões.

Marcos Antônio Zotelli, professor e morador do bairro, reclama de uma empresa de transporte de entulhos, que passou a deixar resíduos em uma das áreas. “O que adianta cuidar da minha casa contra a dengue se eles jogam tudo lá? Todos os vizinhos do lote encontram cobras, escorpiões, lacraias. E outra, lixo chama lixo. Tem pessoas que vêm de outras regiões para jogar o lixo aqui”, conta.
 

Leia Também