ESPORTES

Paraguaios voltam para casa e são recebidos como heróis

Paraguaios voltam para casa e são recebidos como heróis
06/07/2010 07:46 -


Assunção, Paraguai

Uma grande festa marcou a chegada da seleção paraguaia a Assunção, na madrugada de ontem. Os torcedores festejaram a campanha histórica na Copa do Mundo, quando a equipe chegou até as quartas de final. O voo que trouxe a delegação de volta ao Paraguai aterrissou por volta das 3h30min da manhã (horário local), no Aeroporto Silvio Pettirossi.
Os jogadores foram ovacionados pela torcida e condecorados com medalhas pelo presidente Fernando Lugo. O técnico Gerardo Martino e sua comissão técnica também receberam a homenagem do presidente da república. Os jogadores mais festejados foram o goleiro Villar e os atacantes Lucas Barrios e Cardozo (que perdeu um pênalti no jogo contra a Espanha).
“Estou muito orgulhoso de meus companheiros e de vocês, por ter nos recebido assim, desta maneira. Tomara que todos no Paraguai vistam esta camisa para levantar este país, que precisa de todos”, disse, emocionado, o goleiro Villar, capitão do time e um dos principais nomes da participação paraguaia na Copa, a melhor da história (7º lugar).
Salvador Cabañas, um dos principais destaques do Paraguai na campanha das Eliminatórias para a Copa e que não pôde ir ao Mundial por ainda estar se recuperando de um tiro levado na cabeça, também foi lembrado pelos paraguaios na madrugada. A torcida gritou seu nome: “Cabañas querido, o povo está contigo” e ele também recebeu a medalha, representado por seu pai, Dionicio Cabañas.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".