Domingo, 10 de Dezembro de 2017

Sinpol

Para presidente do Sinpol policiais que apuravam crime são heróis

29 JAN 2014Por VÂNYA SANTOS11h:15

Para o presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Mato Grosso do Sul (Sinpol), Alexandre Barbosa, os investigadores Dirceu Rodrigues dos Santos, de 38 anos, e Osmar Ferreira, de 39, são heróis porque mesmo diante de toda a falta de efetivo e de estrutura de trabalho não hesitaram em investigar o furto da corrente avaliada em R$ 80 mil.

“Eles são exemplo porque estavam trabalhando fora de expediente para solucionar um crime. Para eles, o trabalho não tem dia, nem hora e, por conta da falta de efetivo foram só os dois”, comentou Alexandre Barbosa.

De acordo com o sindicalista, as delegacias estão abandonadas por conta da falta de efetivo. “Por ano, de 30 a 40 policiais se aposentam, fora os que pedem exoneração por conta do baixo salário inicial. Com tudo isso, cada vez menos policias estão investigando nas ruas e, infelizmente, ocorreu essa fatalidade. O que resta agora é o consolo à família”.

Alexandre Barbosa explicou que cada caso é um caso, mas que no mínimo, uma ação policial deve contar com cinco agentes. Ele lembrou que há 15 anos, a Delegacia Especializada em Roubo e Furtos (Derf) tinha equipe formada por 10 policiais, mas hoje a realidade é outra.

“Não tem de onde tirar policiais. Isso sem contar que eles acumulam funções. São heróis. O Dirceu mesmo, até o último instante trabalhou em prol da sociedade. Se fosse outro, faria vista grossa para o caso e no final do dia ia para casa ficar com a família”, disse o presidente do Sinpol.

Leia Também