Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Para executivos, jornal é o meio de comunicação mais confiável

23 AGO 08 - 22h:30
     

        Os jornais são o meio de comunicação mais confiável para os executivos brasileiros, que têm na mídia impressa sua maior fonte de informação, aponta pesquisa realizada pela agência de comunicação Máquina da Notícia.

         

        Para 56% dos executivos das maiores empresas do país ouvidos na pesquisa, a mídia impressa (jornais e revistas) é a principal fonte de atualização e conhecimento. A razão para tal preferência, como indica o mesmo levantamento, está relacionada à confiabilidade desses veículos.

         

        Avaliando com notas de 0 a 5 a credibilidade de cada um, os entrevistados deram 3,8 para jornal, 3,4 para revista, 3,3 para rádio, 3,2 para televisão e 3 para internet. "Os dados nos permitem dizer que os impressos são os favoritos porque consolidam e analisam as informações que interessam a esse público", diz Luis Contreras, economista responsável pelo estudo.

         

        Não só pelo conteúdo, mas também pela forma, jornais e revistas são a opção primordial dos empresários: 51% gostam mais de ler notícias no papel, enquanto 9% optam pela internet e 37% usam os dois.

         

        (Com Informações da Folha Online)

Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Alisson, Firmino e Marquinhos concorrem à Bola de Ouro
FUTEBOL

Alisson, Firmino e Marquinhos concorrem à Bola de Ouro

Gás é reajustado pela Petrobras e preço pode ultrapassar R$ 100 em MS
BOTIJÃO DE 13 QUILOS

Gás de cozinha terá aumento e preço pode ultrapassar R$ 100 em MS

Com problemas de saúde, Zeca do PT deixa presidência do partido
POLÍTICA

Com problemas de saúde, Zeca deixa presidência do PT

Em um ano, número de queimadas quase dobram em Campo Grande
MEIO AMBIENTE

Em um ano, número de queimadas quase dobram, aponta comitê

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião