terça, 17 de julho de 2018

Para direção do Santos, Dorival foi o culpado pela crise

23 SET 2010Por 08h:32

Santos, SP

A diretoria do Santos se pronunciou na manhã de ontem, por intermédio de uma nota oficial, sobre os motivos que a levaram a demitir o técnico Dorival Júnior na noite desta terça. Segundo o presidente do clube, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro, houve uma crise de autoridade excessiva por parte da comissão técnica e também quebra de confiança, o que culminou com a saída do treinador.
De acordo com o mandatário santista, a atitude de Dorival de afastar Neymar do clássico contra o Corinthians, ontem, na Vila Belmiro, não fazia parte do acordado do comandante com a diretoria, o que foi classificado por Luis Álvaro como “uma demonstração de absoluta falta de flexibilidade”.
O diretor santista Pedro Luiz Nunes Conceição frisou que não houve uma demissão e, sim, um acordo para a saída de Dorival, sem pagamento da multa rescisória, que era de R$ 2 milhões.
Indagado se um suposto interesse do São Paulo na contratação de Dorival teria resultado nessa alteração da postura do comandante, o diretor evitou fazer tal afirmação, porém, deixou insinuações sobre essa possibilidade no ar. “Eu não tenho a menor condição de responder a essa pergunta, talvez somente o próprio técnico. Agora, essa mudança de postura dele nos surpreendeu de maneira marcante”, disse Nunes Conceição.

Leia Também