Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

sexta, 22 de fevereiro de 2019 - 13h29min

Para aliado, decisão de Trad tem “efeito devastador“

2 FEV 10 - 23h:15MARIA MATHEUS
A decisão do prefeito Nelsinho Trad (PMDB) de apoiar a pré-candidatura da ministra- chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), teve “efeito devastador” para os aliados do governador José Serra (PSDB), principal rival da petista na sucessão presidencial. A avaliação é do presidente regional do PPS, Athayde Nery, integrante do Bloco Democrático Reformista (BDR), formado, ainda, pelo PSDB e pelo DEM. Com 79% de aprovação e grau de confiança de 85%, conforme pesquisa Ibrape publicada ontem, o peemedebista pode ser o principal cabo eleitoral de Dilma em Campo Grande, onde se concentra mais de 30% do eleitorado do Estado. Os altos índices de popularidade e confiabilidade de Nelsinho o tornam peça chave no tabuleiro eleitoral. Até mesmo serristas reconhecem o forte poder de influência do prefeito sobre os eleitores de Campo Grande. “Vai ter muita influência. Nelsinho é uma liderança forte. Ele é um líder da nova geração”, avaliou o vice- governador Murilo Zauith, presidente regional do DEM. Em eleições anteriores, a maioria dos eleitores de Mato Grosso do Sul preferiu candidatos tucanos à Presidência. Aqui, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva perdeu a disputa para Geraldo Alckmin (PSDB) em 2006, por 55% a 44,9%. Em 1998, quando Lula concorreu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), obteve só 24% dos votos no Estado, contra 61%. A exceção foi em 2002, quando os índices se inverteram a favor do petista, que ganhou de Serra por 55% a 44% dos votos. Naquele ano, o Estado era governado por José Orcírio dos Santos (PT). Até então, as principais lideranças do PMDB apoiavam candidatos tucanos ao Palácio do Planalto. O PSDB teve o apoio do então prefeito de Campo Grande, André Puccinelli (PMDB), tanto em 1998 quanto em 2002. PMDB e PSDB detinham o comando da Prefeitura de Campo Grande, o maior colégio eleitoral do Estado, e do Executivo estadual, exceto nos oito anos de administração de Orcírio. Poder de influência Daí a importância da decisão de Nelsinho. A confiança da população depositada no prefeito pode ser decisiva para reverter o quadro a favor do PT. “Quem ganhou muita força com isso foi o PT, analisando friamente. Só se o Zeca (José Orcírio) desistir para não ter o efeito devastador que teve essa fala dele”, considerou Athayde. “Isso, claro, preocupou o BDR. Nos deixou angustiados”, comentou. Athayde classificou como “muito forte” o poder de transferência de votos de Nelsinho ao candidato que ele apoiar para presidente, especialmente considerando os índices de aprovação e confiabilidade do peemedebista. “Tem muito poder. A decisão do Nelsinho repercutiu nacionalmente”. A senadora Marisa Serrano (PSDB), por outro lado, considera difícil a transferência de votos. “Ninguém elege ninguém. Transfere um pouco, mas o candidato é que tem que fazer. Mas é claro que sempre tem influência”, reconheceu. O próprio prefeito está ciente de seu poder de influência. “Acaba influenciando, porque, se confiam na gente, nos tornamos uma referência para as pessoas. Isso é natural”, disse. Para Nelsinho, os bons índices mostrados pela pesquisa Ibrape aumentam sua responsabilidade “de realizar as ações da administração pública com total transparência e eficiência”. Mudança Para Athayde, o apoio de Nelsinho a Dilma não é definitivo. Depende da definição do PMDB em nível nacional, que está dividido entre fazer aliança com o PT, lançar candidato próprio e apoiar Serra. O BDR vai tentar convencer o prefeito a mudar de ideia, apesar de ele ter informado sua decisão até mesmo à própria ministra. “Vamos continuar disputando o Nelson para o Serra”, afirmou Athayde. “A gente acha que foi prematuro (o anúncio do prefeito), por conta da indefinição tanto do PMDB local como nacional e porque o PT tem um candidato aqui”, declarou.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

CONFLITO

Militares venezuelanos abrem fogo contra opositores perto da fronteira com o Brasil

O ditador Nicolás Maduro ordenou o bloqueio da fronteira entre os dois países
Khloé Kardashian se manifesta publicamente pela 1ª vez após traição
REDE SOCIAL

Khloé Kardashian se manifesta publicamente pela 1ª vez após traição

Fernanda Montenegro recebe alta em hospital no Rio
ATRIZ

Fernanda Montenegro recebe alta em hospital no Rio

Alunos excluídos da UFMS conseguem frequentar as aulas
APÓS LIMINAR

Alunos excluídos da UFMS
conseguem frequentar as aulas

Mais Lidas