Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

HERÓI

Papagaio de estimação de vítima ajuda polícia prender assassino

Papagaio de estimação de vítima ajuda polícia prender assassino
27/02/2014 18:44 - da redação


Há uma semana, Neelam Sharma, a mulher do editor de um jornal indiano, foi assassinada em sua casa localizada a 200 km de Nova Deli, na Índia. O seu marido, Vijay Sharma, retornou do trabalho e encontrou o corpo de Neelam e de seu cachorro na casa. A polícia não tinha nenhuma pista sobre quem pudesse ter cometido a atrocidade. Na casa, apenas uma possível testemunha: Hercule, o papagaio da família.

Há dias, o bicho não fazia um barulho sequer e a família pensou que ele poderia estar em choque pela morte da mulher. Segundo o jornal The Mirror, Vijay Sharma comentou com a polícia que a mulher era muito próxima ao papagaio. Os policiais já suspeitavam que o crime poderia ter sido cometido por alguém próximo da família, que teria entrado na casa sem despertar suspeitas. Juntos, Sharma e os policiais elaboraram uma lista com nomes de familiares. “Surpreendentemente, Hercule começou a fazer estranhos barulhos quando o nome do meu sobrinho era citado na casa”, afirmou Sharma ao jornal indiano local. Ele ficou ainda mais surpreso quando o sobrinho apareceu em sua casa. “O papagaio que estava quieto nos últimos dias começou a gritar e se mexer freneticamente dentro da gaiola. Era claramente algo que o estressava. Quando Ashutosh deixou a casa, ele sossegou”, disse o marido da vítima.

Sharma informou o ocorrido à polícia, que submeteu o homem a um interrogatório. Ao final, ele confessou o crime . “Ele disse que tinha ido com um amigo à casa do tio com a intenção de roubar e foi surpreendido por sua tia, que ele matou com medo que denunciasse o roubo”, afirmou o porta-voz da polícia Shalabh Mathur aos jornais indianos. O cachorro também foi morto pelo mesmo motivo, afirma o policial.

Fonte: Daily Mail

Felpuda


Ao que tudo indica, partido teria criado “racha” apenas visando jogar para a plateia, e, assim, quem estava com a corda toda anunciou que se prepara para o desembarque. Nos bastidores o que se ouve é que o tal fundo partidário seria o motivo da desavença e que quem nunca comeu mel quando come se lambuza. Só que não. A estratégia é continuar “dono” da atual legenda e “tomar a frente” de partido que está em fase embrionária. Tudo inspirado na “velha política”.