Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

quinta, 21 de fevereiro de 2019 - 13h03min

Papa intervém para tentar calar “ataques injuriosos e injustos”

10 FEV 10 - 22h:53FRANCE PRESSE
O papa Bento XVI interveio ontem para calar “os ataques injuriosos e injustos” lançados contra o Vaticano na imprensa italiana, e desmentiu com uma nota os rumores de conspirações e intrigas entre destacados eclesiásticos. “O Papa está sendo informado permanentemente sobre o que ocorre, e lamenta os ataques injustos e injuriosos”, advertiu em um comunicado oficial a Secretaria de Estado da Santa Sé. Trata-se de uma resposta pouco habitual, já que o Vaticano tradicionalmente guarda silêncio frente a todo tipo de escândalos, sobretudo quando envolvem importantes cardeais, bispos ou pessoas próximas ao atual chefe de Estado italiano, Silvio Berlusconi. O caso explodiu no meio do ano passado, quando Dino Boffo, diretor do Avvenire, influente jornal do episcopado italiano, precisou se demitir do cargo depois de noticiado na imprensa que ele havia sido condenado pela justiça por abusar sexualmente de uma mulher para que ela deixasse seu noivo, com quem mantinha uma relação homossexual. A informação, que gerou alvoroço nos meios de comunicação, foi desmentida meses depois pelo próprio autor da notícia, o deputado Vittorio Feltri, diretor do jornal Il Giornale, de propriedade da família Berlusconi. O parlamentar poderá ser suspenso ou expulso pela ordem dos jornalistas. A campanha contra Boffo gerou uma tempestade política, sobretudo porque o jornalista católico é um dos maiores críticos da vida desregulada do primeiro-ministro e de suas festas em mansões com jovens prostitutas. Apesar da renúncia de Boffo, o caso foi reaberto cinco meses depois e terminou envolvendo respeitados cardeais, após Feltri revelar que o documento que acusava Boffo de homossexualismo era falso. Segundo a imprensa italiana, o diretor do jornal do Vaticano L’Osservatore Romano, Giovanni Vian, e o cardeal Tarcisio Bertone, Secretário de Estado da Santa Sé e braço direito do Papa, estariam por trás das acusações contra Boffo. Para editores e observadores de assuntos da Santa Sé, os instigadores do complô estariam dentro dos muros do Vaticano e, mais do que problemas sagrados, conspiram pelo poder terreno. “As informações e reconstruções dos atos não têm fundamento algum”, afirmou o comunicado da Secretaria de Estado da Santa Sé. “É falso que membros do Vaticano ou que o diretor do L’Osservatore Romano tenham entregue os documentos que levaram à demissão” de Boffo, explicou a nota.
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Deputados avaliam alternativas para reduzir impacto da Cota Zero
MEIO AMBIENTE

Deputados avaliam alternativas sobre impacto da Cota Zero

Campo Grande deve voltar a fazer parte das grandes competições vôlei
VIVAVÔLEI

Capital deve voltar a fazer parte das competições vôlei

Damares diz que vai rever  atuação de ONGs na Funai
AUDIÊNCIA PÚBLICA

Damares diz que vai rever
atuação de ONGs na Funai

Prefeito considera redução da atuação da guarda como retrocesso
DECISÃO JUDICIAL

Redução da atuação da guarda é retrocesso, diz Prefeito

Mais Lidas