Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

FRANCISCO

Papa diz aos cardeais que Igreja não é uma corte: 'evitemos intrigas'

Papa diz aos cardeais que Igreja não é uma corte: 'evitemos intrigas'
23/02/2014 07:15 - TERRA


​A cada dia o papa Francisco deixa mais claro seu estilo de governar e o estilo que quer dos seus comandados. O recado da primeira missa dos novos 19 cardeais, entre eles o brasileiro Orani João Tempesta, foi direta: a santidade. "Ser santo não é luxo, é necessário para a salvação do mundo", disse o Papa.

E ele foi ainda mais direto quando falou sobre a entrada no colégio cardinalício como um serviço ao próximo, e não como uma premiação. "O cardeal entra na igreja de Roma, não entra numa corte. Evitemos todos hábitos e comportamentos de uma corte: intrigas, críticas, facções, favoritismos, preferências", disse num recado a todos os membros da igreja.​

E nos gestos e atitudes, Francisco vem demostrando o caminho que quer se siga. Se com João Paulo II e Bento XVI as missas dominicais se arrastavam em mais de duas horas, Francisco celebrou a missa em 1h20, sem descontar a fila da comunhão de uma Basílica de São Pedro absolutamente lotada. No sermão, deu o caminho: falou 12 minutos no relógio.

Dom Orani teve a prerrogativa de ficar mais perto do Papa durante a missa - justamente por ser sua primeira como novo cardeal da igreja. O papa Francisco pediu aos cardeais que sejam amáveis, dóceis, e que abandonem o orgulho e o egoísmo em busca de fazer o bem. "Um coração vazio de amor é como uma igreja deslacraríamos, subtraída do serviço de Deus e destinada a outro fim", afirmou.

Apesar de promessa, Dilma falta à missa

A presidente Dilma Rousseff descumpriu a promessa feita ao papa Francisco e faltou à missa de hoje. Durante o encontro na sexta-feira, o Papa perguntou à presidente se ela estaria em Roma sábado e domingo, e disse que sim. Mas por fim decidiu embarcar logo cedo para Bruxelas, onde participa de reuniões de cúpula Brasil-União Europeia.

Felpuda


É grande a expectativa em torno de qual foi a justificativa de conhecida figura que beneficiou sujeito, e este, aproveitando a, digamos, boa vontade demonstrada, simplesmente “sumiu do mapa”. Órgão nacional pediu explicações para o “benfeitor”, e o prazo já venceu. Como as decisões por lá não ficam escondidas do distinto público, logo, logo, a curiosidade deverá ser contemplada. É esperar para conferir!