BRASILEIRÃO

Palmeiras busca reação diante do líder Vasco

Palmeiras busca reação diante do líder Vasco
17/06/2012 10:12 - globoesporte.com


A diferença na tabela já é de 11 pontos em apenas quatro rodadas disputadas no Campeonato Brasileiro. Em campo, porém, Palmeiras e Vasco prometem um duelo bem mais equilibrado neste domingo, às 16h, na Arena Barueri. Com vaga bem encaminhada na final da Copa do Brasil, o Verdão tenta reagir em outra competição, justamente diante do líder. Fora da disputa da Libertadores, a equipe cruz-maltina concentra seus esforços na competição nacional, obtém sucesso na arrancada logo no começo e busca quebrar um recorde de cinco vitórias consecutivas, que já dura 24 anos, quando passou pelo mesmo rival desta tarde ao fazer a quina.

Com 100% de aproveitamento, o Vasco de Cristóvão Borges tenta ampliar ainda mais a vantagem na liderança - depois de quatro rodadas, apenas Atlético-MG e Grêmio ameaçam a soberania carioca neste fim de semana. O primeiro pega o São Paulo, o segundo, o Náutico. Caso o atual líder perca e um destes rivais vença haverá mudança no topo da tabela.

O Palmeiras só tem um ponto, mas vai com reforço e moral extra para reagir no Brasileirão. A vitória por 2 a 0 sobre o Grêmio, no Olímpico, surpreendeu até o técnico Luiz Felipe Scolari. O ótimo placar no jogo de ida das semifinais da Copa do Brasil deixou o elenco mais encorpado para a competição paralela. Felipão não terá, porém, o reforço de Valdivia, que confirmou sua permanência depois de ter sofrido o trauma de um sequestro-relâmpago na semana passada, mas reclamou de dores no joelho direito após o treino de sexta-feira.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".