Palmeiras aciona Luis Felipe na Justiça e tira lateral da concentração

Palmeiras aciona Luis Felipe na Justiça e tira lateral da concentração
13/01/2014 14:15 - foxsports


Palmeiras e Luis Felipe não conseguiram chegar a um acordo com relação à renovação do jogador, mas o caso envolvendo as duas partes parece estar longe de um fim. Insatisfeito com a postura adotada pelo lateral revelado na base alviverde, o clube do Palestra Itália acionou o atleta na Justiça, através do Tribunal Regional do Trabalho.

Diante da posição do Palmeiras, o jogador já procurou um advogado para representá-lo na ação. Luiz Felipe Santoro, jurista também do Corinthians, confirmou que seu escritório foi procurado. Desta forma, Rui Almeida, um de seus sócios, será o responsável por defender o lateral alviverde.

O reflexo deste impasse envolvendo clube e jogador já pôde ser visto na pré-temporada que está sendo realizada em Itu, no interior de São Paulo. Neste domingo, a assessoria do Palmeiras confirmou que Luis Felipe foi afastado da concentração e não participa mais das atividades do elenco comandado por Gilson Kleina, retornando à Academia de Futebol, na capital.

Após um bom desempenho na Série B do Campeonato Brasileiro, Luis Felipe foi procurado para renovar o seu contrato até o final de 2014. Um erro de digitação, no entanto, fez com que o vínculo ficasse firmado apenas até dezembro de 2013. O erro foi publicamente admitido pelo Palmeiras, mas Luis Felipe não quis consertar a documentação de acordo com o que já estava estabelecido.

A situação ficou ainda pior quando o lateral, com uma proposta do Benfica, de Portugal, pediu uma valorização de seu salário, o que deixou o presidente Paulo Nobre bastante irritado. Antes mesmo da ação judicial, porém, o diretor José Carlos Brunoro já afirmou que Luis Felipe não será usado por Gilson Kleina no ano do centenário.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".