Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

Palestras orientam sobre alimentação no ambiente escolar

Palestras orientam sobre alimentação no ambiente escolar
23/05/2010 17:20 -


     

O Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul (CRM-MS) realizou ontem (22), uma série de palestras relacionadas à alimentação no ambiente escolar, direcionada a pais, professores, estudantes e demais interessados. O evento, que teve entrada gratuita, é uma parceria entre o CRM, Sociedade de Pediatria e Sociedade de Endocrinologia de Mato Grosso do Sul e os conselhos estaduais de Nutrição e Educação Física. Os palestrantes abordaram os temas: Aquisição de Hábitos Alimentares, Obesidade Infantil, Prevalência da Obesidade Infantil, Importância da Atividade Física na Infância e Reflexões sobre Alimentação Escolar.

Segundo o presidente do CRM-MS, Antonio Carlos Bilo, a atividade também é uma maneira da instituição interagir com a sociedade e contribuir para a mudança dos hábitos alimentares, principalmente entre as crianças e os adolescentes. Pesquisa feita pelo IBGE indica que, na faixa etária de 10 a 19 anos, a frequência de excesso de peso é de 16,7%. O percentual é ainda maior entre os pré-adolescentes com 10 e 11 anos, chegando a 22%.

Vale lembrar que eles passam grande parte do dia na escola, que muitas vezes têm cantinas terceirizadas, onde são comercializados alimentos ricos em gorduras e calorias, com reduzido valor nutricional. Mudar esse ambiente escolar é determinante para evitar problemas de obesidade na infância e adolescência, que já são considerados questões de saúde pública e favorecem o desenvolvimento de outras doenças na idade adulta, como pressão alta, diabetes e problemas cardíacos.

As informações são do Portal Médico

Felpuda


As conversas vêm acontecendo muito, mas muito reservadamente mesmo, e dão conta de que suplente poderá receber convocação, assumir a titularidade do cargo e por lá ficar por tempo indeterminado. Como é óbvio, tem gente jurando que nunca ouviu nem sequer falar sobre o assunto. O motivo não seria nada ligado a possíveis atos de irregularidades, mas sim por problemas de ordem pessoal.