Campo Grande - MS, terça, 14 de agosto de 2018

CRIMES SEXUAIS

Palestra sensibiliza sociedade sobre pedofilia

21 MAI 2011Por DA REDAÇÃO00h:01

Com o plenário lotado, a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul realizou na noite de ontem (20) o II Encontro Estadual sobre a Semana de Combate à Pedofilia. O objetivo é alertar a população para identificar e denunciar casos de crimes sexuais contra crianças e adolescentes. A iniciativa foi idealizada por meio da Lei 3707/09, de autoria do deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB).

“No Brasil, a cada dois minutos e meio uma criança é abusada ou violentada. Em Mato Grosso do Sul, somente nos primeiros cinco meses deste ano, já foram registrados 140 crimes de violência sexual contra criança. Por isso, estamos realizando este evento, para sensibilizar a população do Estado para identificar e denunciar estes criminosos”, afirmou o deputado professor Rinaldo.
 

A psicóloga Rosilene Giosoato, especialista em violência contra a criança e adolescente, ministrou palestra sobre prevenção, combate, formas de violência e a diferença de pedofilia e abuso sexual. “O pedófilo tem desejo sexual voltado por crianças de 0 a 12 anos. Já o abusador não tem idade ou grupo específico para agir. Estima-se que apenas entre 2% a 10% das pessoas que praticaram atos de natureza sexual em crianças sejam pedófilos, os outros 90% por abusador oportunista”, esclareceu.

Para a psicóloga, as situações mais frequentes e mais dolorosas são de abuso sexual. “Chamamos a atenção para este criminoso, o abusador, pois ele está dentro dos lares. Mais de 80% dos abusos sexuais cometidos contra crianças e adolescentes acontecem dentro da casa da própria vítima, pelo padastro, primo, tio e até mesmo o pai”, alertou.

Rosilene deu dicas sobre o perfil e as características de pedófilo e abusador e como identificar uma criança vítima destes crimes. Segundo ela, o pedófilo está sempre perto e rodeado de crianças, isolando-se de pessoas da mesma faixa etária. O abusador relaciona-se com adultos, aguardando oportunidade para cometer o crime.

A principal característica de uma criança vítima de abuso é a mudança brusca de comportamento. “A criança por natureza é inocente, risonha e brincalhona. Quando passa a ser vítima de abuso a sua infância é roubada. Passa a ficar calada, avessa à contato físico, com medo, agressiva, depressiva, chegando ao ponto de pensar em suicídio”, adverte.

A pena para quem comete pedofilia pode chegar a 15 anos, entretanto os agressores não se intimidam.


As denúncias podem ser feitas pelos telefones 100, 0800-6471323 e 3381-6000.

Leia Também