segunda, 23 de julho de 2018

Costumes

Paixão pelas figurinhas

3 OUT 2010Por OSCAR ROCHA04h:45



Pela lógica atual, quando computador, celular, Ipod, entre outros, tornaram obsoletos costumes do passado – principalmente os ligados à infância e adolescência – colecionar figurinhas era algo que parecia fadado à lembrança apenas dos mais velhos. Nada como a realidade para surpreender. O antigo hobby encontra-se revigorado e, com um acréscimo, unindo gerações. “É comum ver aqui na banca, aos sábados à tarde, as crianças junto com os pais, avós e tios trocando figurinhas. É algo que une toda família em torno da coleção”, explica Messias de Sousa, proprietário de uma banca de revista localizada na Avenida Mato Grosso, próxima da Rua Ceará.
No período da Copa do Mundo o local chegou, segundo Messias, a reunir aproximadamente 500 pessoas na área próxima à banca. O público diminuiu, mas ainda é significativo ao redor. A funcionária pública Cristina Mouro Medina Lopes é uma frequentadora da banca, junto com o filho Pedro, 10 anos, e confirma que colecionar aproxima pessoas de diferentes idades.
“Foi um envolvimento geral na família com o álbum do Pedro. Eu, meu marido, os avós, todos, de certa forma, participaram para que ele conseguisse completar sua coleção da Copa do Mundo”. Anteriormente, o garoto colecionou álbuns do Batman, Kung Fu Panda, Pokemon, High School Music. “A gente acaba se envolvendo, não tem jeito. Na hora de trocar, acabamos conhecendo mais gente, fazendo amizades. A criança curte, mas o adulto também”, aponta Cristina, que diz ajudar o filho na organização das figurinhas na hora da troca.
“A gente precisa se policiar e entender que a coleção é da criança e não da gente”, alerta, brincando, o produtor cultural Belchior Cabral, que ajuda, atualmente, o filho Eduardo Freire Cabral, 5 anos, a completar o álbum do Campeonato Brasileiro (Brasileirão). “Ele já colecionou figurinhas de super-herói, mas foi com a Copa do Mundo que ficou mais empolgado e, agora, com a do campeonato brasileiro. Ele está muito envolvido com futebol, inclusive treinando em escolinha; as figurinhas  somam-se a este  interesse”, diz o pai.

Leia Também