Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

EUA

País investigará presidenciável por mau uso de fundos para vítimas da Sandy

13 JAN 14 - 21h:00FOLHA PRESS

Após estourar o escândalo sobre o bloqueio de uma ponte por razões políticas, o governador de Nova Jersey, Chris Christie, principal promessa do Partido Republicano para a Casa Branca em 2016, será agora alvo de uma investigação federal sobre o uso dos recursos destinados às vítimas da supertempestade Sandy, em outubro de 2012.

Segundo a CNN, a suspeita é de que Christie tenha usado US$ 2 milhões de parte dos fundos federais para as vítimas em propagandas na qual aparecia com sua família para promover o turismo no Estado em ano de eleições.

A campanha publicitária, financiada com recursos federais, custou US$ 25 milhões -US$ 2 milhões a mais do que o valor de uma propaganda aprovada por concorrência, e sem a família de Christie.

Se confirmado o desvio, o impacto deve ser ainda maior para sua imagem pública do que o caso apelidado de "Bridgegate".

O governador é um dos nomes republicanos mais bem cotados para a disputa presidencial, sendo um dos únicos possíveis candidatos capazes de ameaçar a ex-secretária de Estado Hillary Clinton -principal aposta democrata.

Uma pesquisa da CNN divulgada no fim de dezembro apontava um empate técnico entre Christie, com 48% das intenções de voto, Hillary, com 46%.

A suspeita foi levantada pelo deputado democrata por Nova Jersey Frank Pallone, que enviou um pedido, em agosto passado, para que o Departamento de Habitação e Desenvolvimento Urbano investigasse o possível desvio. O relatório final pode durar meses.

O caso seria ainda mais emblemático considerando que a resposta do governador à passagem da supertempestade foi considerada exemplar na época -o republicano chegou a aparecer ao lado do democrata Obama, visitando vítimas da Sandy, semanas antes da reeleição do presidente. Estima-se que o episódio tenha tido também um peso importante na sua reeleição como governador, em 2013.

A supertempestade matou ao menos 159 pessoas e destruiu mais de 650.000 casas em outubro de 2012.

Ponte

Christie já enfrenta uma investigação federal por conta do controverso bloqueio de uma ponte.

Na última semana, foram revelados e-mails que sugerem que assessores próximos de Christie ordenaram o fechamento de duas pistas de acesso à George Washington -que liga Fort Lee, em Nova Jersey, a Manhattan, e é a ponte mais movimentada do mundo- por razões políticas. 

Dias antes da reeleição do governador republicano, a ponte teria sido bloqueada em retaliação ao prefeito de Fort Lee, o democrata Mark Sokolich, que não apoiou Christie.

Os moradores enfrentaram um engarrafamento recorde com o bloqueio.
Nas mensagens divulgadas, a então vice-chefe de gabinete do republicano, Bridget Anne Kelly, avisa a um dos responsáveis pelo tráfego na ponte que era "hora de alguns problemas de tráfego em Fort Lee".

Mensagens posteriores chegam a esboçar uma possível preocupação com as crianças que poderiam perder aulas por conta da ação.

"Eles são os filhos dos eleitores de Buono", responde o destinatário do email de Kelly, David Wildestein. A referência é à democrata Barbara Buono, que disputou o governo do Estado com Christie.

O governador passou quase duas horas se explicando a jornalistas no dia seguinte ao vazamento, disse que foi traído e enganado por assessores. Ele negou que sabia das razões o bloqueio e demitiu sua vice-chefe de gabinete.
 

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Mais famílias campo-grandenses conseguem pagar as dívidas
APONTA PESQUISA

Mais famílias campo-grandenses conseguem pagar as dívidas

Agehab dá dez dias para mutuários regularizarem dívidas
INTERIOR

Agehab dá dez dias para mutuários regularizarem dívidas

União agilizará reconhecimento de emergência por queimadas em MS
DIZ MINISTRO

União agilizará reconhecimento de emergência por queimadas em MS

Investigações contra agressor de Bolsonaro podem ser retomadas
PRESO EM CAMPO GRANDE

Agressor de Bolsonaro pode voltar a ser investigado

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião