ELES E ELAS

Pais falam sobre parceria e da cumplicidade com as filhas

Pais falam sobre parceria e da cumplicidade com as filhas
12/08/2012 00:01 - EDUARDO FREGATTO


É só o Dia dos Pais chegar para um velho clichê tomar conta das campanhas publicitárias. Pais e filhos, homens, praticam esportes, torcem para o mesmo time, vão juntos às pescarias e jogos de futebol, além de uma infinidade de outras atividades tipicamente masculinas. Por isso, todo pai sonha com um filho homem. Será mesmo?

Apesar de esta ser uma ideia já aceita e constantemente disseminada em filmes, novelas e propagandas, não é nada difícil encontrar histórias genuínas de amizade e parceria entre os pais e suas filhas. Cynthia Paludeto, 21 anos, é um exemplo de filha parceira. Desde pequena ela acompanha o pai nas mais variadas aventuras “tipicamente masculinas”. Encontros de moto, jogos de futebol e até uma cervejinha juntos. “Eu sou como se fosse o gurizinho dele”, brinca.

Cynthia e o pai, Marcelino Paludeto, são amigos de longa data. Além das viagens que costumam fazer para celebrar a paixão por motos, os dois ainda são palmeirenses e assistem a todos os jogos do time torcendo e vibrando juntos. “Eu ainda ajudo ele a mexer e lavar o carro, a gente faz muita coisa”, afirma a jovem.

Leia mais no jornal Correio do Estado

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".