POLÍTICA

Pais devem ficar atentos ao “roubo”

Pais devem ficar atentos ao “roubo”
18/02/2010 06:34 -


Um jogo virtual, como a “Colheita feliz”, no qual a prática do roubo é vista como normal e até é estimulada, pode influenciar o mundo real? Para o psicólogo Rômulo Said Monteiro, dependendo da idade do jogador, sim. “No caso de um adulto, acho que pode até não influenciar. Por exemplo, alguém que gosta de game violento, que mostra perseguições e morte, não vai sair por aí repetindo o que vê no jogo, mas para quem está em fase de formação é mais complicado”. Ele acha que os pais precisam estar atentos ao que cerca os filhos, seja na internet ou em outros meios de comunicação. Avalia que, num momento em que os pais passam muito tempo fora de casa, quem repassa os valores às crianças é a mídia. “Educar dá trabalho, por isso, no momento em que os pais estão com os filhos, mesmo que seja por pouco tempo, é importante que estejam atentos a tudo”. O psicólogo, além dos jogos da internet, cita programas como “Big brother” como exemplos de divulgação de volares distorcidos. No caso do “reality show”, aponta que enfatiza relações pessoais marcadas pela competição acirrada, muitas vezes desleal. “São comportamentos nada saudáveis”. Propõe que, a partir do que está sendo mostrado pelos meios de comunicação, se faça reflexão, estimulando possíveis debates e conscientização das pessoas. (OR)
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".