Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

ECONOMIA

País deve produzir 143 milhões de toneladas

País deve produzir 143 milhões de toneladas
10/02/2010 22:46 -


A produção nacional de grãos, da safra 2009/10, foi projetada pela Conab, ontem, em 143,09 milhões de toneladas. O resultado, de acordo com o quinto levantamento, é o segundo melhor da história e 5,9% superior às 135,13 milhões t da última temporada, ou 1,2% a mais que o do mês passado (141,35 milhões t). O recorde da produção é do ciclo 2007/08, que foi de 144,1 milhões t. O bom desempenho devese à estabilidade de chuvas nos principais estados produtores, diferentemente do período anterior, que foi marcado pela estiagem nos estados da região Sul e Mato Grosso do Sul, provocando redução significativa na colheita, especialmente de soja e milho. A oleaginosa, juntamente com o milho primeira safra, é a cultura mais beneficiada pelo clima e deve alcançar 66,73 milhões t, 16,7% ou 9,57 milhões t a mais que a temporada 2008/09, de 57,17 milhões t. Esta estimativa confere um novo recorde nacional de produção. Outras culturas, como feijão primeira safra e algodão, também elevaram a produção. O primeiro registrou crescimento de 10,6% ou colheita de 142,1 mil t, graças à recuperação da produtividade. Já o algodão cresceu 2,1%, o equivalente a 40 mil t. Por outro lado, e em razão do excesso de chuvas no Rio Grande do Sul, o arroz apresenta queda de 1,10 milhão t, ou -8,7%. O milho também diminuiu 1,29 milhão t, ou -3,8%, em razão da redução de área. Área A área total plantada está calculada em 47,65 milhões de hectares, inferior 22,8 mil hectares da anterior. Com exceção da soja e do feijão primeira safra, as demais culturas pesquisadas tiveram redução de área, entre elas o algodão (-25,6 mil ha), o arroz (- 113,9 mil ha), o milho primeira safra (-1,11 milhão ha) e o segunda safra (-164,2 mil ha).

Felpuda


As pré-candidaturas bizarras estão se espalhando nas redes sociais, nos perfis de quem acredita que esse tipo de “campanha eleitoral” poderá resultar em votos e até levar à conquista de uma vaga na Câmara Municipal de Campo Grande. Se antes isso era visto apenas no horário eleitoral na TV, agora está se espalhado como erva daninha nas redes. Como diria vovó: “Esse povo ainda se acha!” Afe!