Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CONFLITO

País anuncia suspensão de vínculos militares com a Rússia

País anuncia suspensão de vínculos militares com a Rússia
03/03/2014 21:00 - FOLHAPRESS


Os Estados Unidos anunciaram a suspensão de "todos os vínculos militares" entre Washington e Moscou, em consequência da intervenção russa na Crimeia, anunciou o Pentágono hoje.

"Isso compreende os exercícios e as reuniões bilaterais, as escalas de navios e as conferências de planejamento militar", declarou em nota o porta-voz da Defesa americana, o contra-almirante John Kirby.

A agência de notícias Reuters noticiava na noite de hoje que os EUA também tinham colocado em suspenso o comércio bilateral e os diálogos sobre investimentos com a Rússia.

Sanções

O presidente americano, Barack Obama, já havia advertido mais cedo que os EUA estudava medidas econômicas e diplomáticas para "isolar a Rússia". Segundo ele, Moscou se coloca no "lado errado da história" com sua intervenção militar na região ucraniana da Crimeia

Também o chanceler francês, Laurent Fabius, afirmou que a União Europeia iria discutir "medidas concretas" de retaliação, como suspensão de acordos econômicos e de negociações de vistos. Líderes do bloco se reunirão na próxima quinta-feira.

A Europa, porém, importa da Rússia cerca de um terço do gás que consome, o que pode frear a adoção de sanções mais duras. Os europeus sugeriram a mediação internacional da crise, que poderia ser conduzida pela Organização para a Segurança e Cooperação na Europa.

O secretário de Estado americano, John Kerry, viaja hoje a Kiev, em um forte sinal de apoio ao governo interino ucraniano, que assumiu após a saída do presidente Viktor Yanukovych.

A tensão na Crimeia começou depois que protestos em massa -especialmente em Kiev- levaram à queda do presidente ucraniano Viktor Yanukovich, aliado de Moscou, e à sua substituição por um governo mais próximo do Ocidente, em fevereiro.

A transição levou a população da Crimeia, de origem majoritariamente russa, a protestar contra o novo governo -e a Rússia, a enviar tropas para a região, onde mantém uma base militar estratégica.

Hoje, Donetsk, Lugansk e Odessa, que ficam fora da Crimeia, também tiveram atos pró-Rússia. Em Donetsk, manifestantes invadiram a sede do governo local.
 

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!