Campo Grande - MS, quinta, 16 de agosto de 2018

ALCINÓPOLIS

Pai de vereador assassinado entrega carta a secretário e governador

5 MAI 2011Por EVELIN ARAUJO13h:40

Alcino Fernandes Carneiro, pai do vereador Carlos Antonio Costa Carneiro, assassinado no dia 26 de outubro 2010 do ano passado, entregou uma carta ao Secretário de Justiça do Estado, Wantuir Jacini, ao Governador André Puccinelli e aos deputados estaduais.

O teor da carta é de desabafo após seis meses da execução do filho, que veio à Campo Grande na época com documentos para entregar a um advogado. Carneiro falou nesta manhã com exclusividade ao Portal Correio do Estado e se declarou decepcionado com a decisão da Justiça em suspender o júri popular de um dos acusados, Aparecido Souza Fernandes, de 34 anos, por falta de testemunhas. 

Na carta, o pai do vereador declara que só descansará quando souber que os responsáveis pela morte do filho foram identificados, indiciados e condenados. Leia abaixo a carta, na íntegra. 

 

 

 

"Seis meses se passaram desde o brutal assassinato de meu

filho, aos 40 anos. Foi no dia 26 de outubro de 2010.

Desde esse dia, a dor é intensa e as lágrimas constantes. Brotam
inesperadamente. A saudade aumenta a cada instante, enquanto o
autor o mandante, continua à solta.
Conto com o apoio, a compreensão e o amparo de amigos fiéis, sem
o que jamais teríamos forças suficiente para dar prosseguimento à
essa luta.
Até agora, passados quase sete meses, fica aqui meu apelo a todas
as autoridades que tome providencias mais rápido possível.
Alcinópolis não pode mais ficar como esta, construímos essa cidade
com carinho, uma cidade calma, um povo tão humilde de famílias
tradicionais, mas agora tudo esta mudado, famílias tradicionais
estão indo embora, alegam que Alcinópolis não tem autoridade,
acreditam que deixando essas pessoas no poder as investigações
poderão ser comprometidas. Pessoas se calam por medo, estamos
perdendo o direito de falar, vereadores aliados ao vereador Carlos,
são perseguidos e temem por sua vida. Mas acreditamos na justiça
de Deus e dos homens.
Temos Fé em Deus que essa quadrilha que se apossou de nossa
cidade seja banida sem piedade, pois não tiveram quando
mandaram matar um pai de família honesto e trabalhador.
A ferida aberta em nossos corações, no dia 26 de outubro de 2010,
jamais cicatrizará. O que posso fazer para aliviar a dor que está
presente em todos os instantes da nossa vida?
Mas quem se importa?
Não sabem o que é isso.
Atrevo-me a dizer que isso ocorreu com o meu filho e continua
ocorrendo com tantos outros como ele porque eles acreditam na
impunidade, tão seguros que estão de permanecerem impunes.
Esperamos que as autoridades faça a Justiça, buscando os
responsáveis pela morte de meu filho. As vezes temos vontade de
fazer justiça por nós mesmo, Mas como cidadão de bem que sou,
provavelmente seria punido, ao contrário do que ocorre do outro
lado: o dos bandidos.
Devem apostar em nosso cansaço. Enganam-se.
Só descansarei quando souber que os responsáveis pela morte do
meu filho o Vereador e Presidente da Câmara Carlos Antonio Costa
Carneiro forem identificados, indiciados e condenados.
O assassinato de meu filho, faz com que eu me envergonhe um
pouco mais a cada dia do meu Brasil. Não somos os únicos e
todos os dias casos semelhantes acontecem ao ponto de ver que o
assassinato tornou-se uma coisa banal. Pois se prenderem virá o

tal do Direitos Humanos e dirá que precisam de apoio, passarão a
mão em suas cabeças, serão soltos novamente e voltarão a cometer
crimes, cada vez mais audaciosos e tranqüilos, certos de sua
impunidade.
Vou continuar escrevendo e cobrando o meu direito.
Ainda tenho esperança de que, um dia, a Justiça será feita. Então
poderei dizer ao meu filho, onde ele estiver: a Justiça foi feita.

Esperamos que o julgamento do dia 11-05 aconteça e não seja
suspensa como do dia 06-05, convidamos aos amigos a participar". 

 

ALCINO FERNANDES CARNEIRO

PAI

Leia Também