Quarta, 21 de Fevereiro de 2018

MOTIVAÇÃO POLÍTICA

Pai de vereador acusa prefeito de homicídio

28 OUT 2010Por karine cortez/ MARIA MATHEUS03h:30

 O vice-prefeito de Alcinópolis, Alcino Fernandes Carneiro (PDT), 65 anos, acredita que o prefeito da cidade, Manoel Nunes da Silva (PR), tenha sido o mandante da execução de seu filho e presidente da Câmara Municipal daquele município, Carlos Antonio Costa Carneiro, 40 anos. O crime foi cometido anteontem, em Campo Grande.

"O prefeito sempre mandava recados ameaçando meu filho de morte. Até um dia ele disse para meu filho: "Se você continuar do jeito que está – se referindo a investigação sobre as ações do prefeito – qualquer hora pode aparecer morto", lembrou.

Ontem, o delegado que fez o flagrante do caso, João Reis Belo, disse que a possibilidade de que o crime tenha sido motivado por briga política é a principal linha de investigação.

Em entrevista ao Correio do Estado, o prefeito de Alcinópolis disse que sabe da acusação feita pela família do vereador, mas negou que tenha qualquer participação no crime. "Não devo nada e espero que a Justiça prove isso o quanto antes", afirmou. Ao ser questionado se seria rival político da vítima, o prefeito salientou que "éramos de oposição e não rivais".

No veículo de Carlos Antônio foram apreendidos diversos documentos que, segundo o pai do rapaz, seria denúncia contra Manoel Nunes e seriam entregues ao Ministério Público Estadual (MPE). "Ele rasurou o orçamento do município para poder usar mais dinheiro sem ter que pedir para a Câmara Municipal. Os vereadores teriam descoberto a suposta fraude ao analisarem as despesas da cidade e decidiram denunciá-lo", disse o vice-prefeito.

Alcino Carneiro ainda declarou que foi excluído pelo prefeito das ações de administração da cidade depois que Carlos Antônio foi eleito presidente da Câmara Municipal. "O acordo de campanha era de que o Manoel daria para nós a Secretaria de Obras e não cumpriu depois que meu filho passou a ser presidente da Câmara. Ele me isolou da administração", contou Alcino.

O delegado João Reis Belo confirmou que os documentos estão de posse da polícia e serão averiguados. "Esses documentos e o rastreamento do telefone celular são de fundamental importância para a investigação".

 

Inquérito rigoroso
O governador André Puccinelli disse ontem, após assinatura de protocolo de intenções com empresários e políticos paraguaios, na governadoria, que determinará "inquérito rigoroso" sobre o assassinato do vereador Carlos Antônio Carneiro, de Alcinópolis. "Não se deve acusar ninguém sem ter certeza. E se não for o prefeito?", aconselhou o governador. "Não se deve explorar politicamente questões pessoais".

O governador foi ontem à tarde ao município, acompanhado do secretário estadual de Segurança Pública, Wantuir Jacini.  

Leia Também