sábado, 21 de julho de 2018

testemunhas

Pai de santo pode ajudar a esclarecer o caso

3 DEZ 2010Por NADYENKA CASTRO02h:35

Um pai de santo é uma das principais testemunhas dos assassinatos de Regina Bueno França, 40 anos, e de Cláudia de Araújo Mugnaíne, 34 anos, encontradas degoladas na tarde de anteontem, em Campo Grande. Ele mora quase em frente à casa de Cláudia, no Jardim Tijuca, onde os corpos estavam, era amigo dela, foi ouvido pela Polícia Civil ainda na quarta-feira e teve o aparelho de celular apreendido.

O delegado responsável pelas investigações, Daniel Rodrigues da Silva, não revela o teor do depoimento do pai de santo, mas diz que Cláudia era "cliente" dele. A filha da testemunha disse que o pai se chama Alcides e que ele é homossexual. Vizinhos relataram tê-lo visto chamando por Cláudia na quarta-feira, antes de os corpos terem sido encontrados, e também conversando normalmente com ela por volta das 19 horas do dia anterior. "O portão de elevação estava aberto e eles estavam conversando ali fora tranquilamente", declarou um amigo de Cláudia que preferiu não se identificar.

A Polícia Civil também já interrogou o namorado de Cláudia. De acordo com a polícia, o homem mora em Araçatuba, interior de São Paulo, e veio para Capital por conta do assassinato. Segundo um amigo de Cláudia, que não quis se identificar, o homem chama-se Rui, é casado, reside com a família e esteve pela última vez com a cabeleireira há cerca de "15, 20 dias". Este mesmo amigo contou que foi Rui quem deu o carro e a casa para ela.

Também já prestaram depoimentos amigos e familiares das duas amigas, que estavam constantemente juntas, segundo relato de vizinhos. A polícia vai ouvir mais conhecidos das duas, para descobrir a autoria e motivação do crime.

Leia Também