domingo, 22 de julho de 2018

SUCESSÃO PRESIDENCIAL

Padilha vem ao Estado para mobilizar aliados de Dilma

16 OUT 2010Por LIDIANE KOBER00h:10



O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, vem na próxima segunda-feira (18) a Mato Grosso do Sul para mobilizar os aliados em torno da campanha de Dilma Rousseff (PT) à Presidência da República. Ele vai se encontrar com prefeitos e parlamentares para traçar as estratégias a fim de virar o jogo eleitoral no Estado. No primeiro turno do pleito, o candidato do PSDB, José Serra, saiu das urnas com a maioria dos votos dos sul-mato-grossenses.
Segundo o presidente da Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul, Beto Pereira (PSDB), entre 30 e 40 prefeitos vão estar no encontro, além de parlamentares em atuação e os eleitos no último dia 3 de outubro. “Vamos unificar o discurso dos aliados da ministra Dilma”, contou. Ele revelou ainda que o slogan da campanha da petista é “MS não pode parar”. “Nunca os municípios do Estado receberam tantos recursos do Governo federal como na gestão do presidente Lula e a Dilma representa a continuidade deste trabalho”, destacou Beto, um tucano aliado da petista.
Presença confirmada no encontro, o deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) acredita ser possível virar o jogo eleitoral em Mato Grosso do Sul apostando na “gratidão dos prefeitos”. “Se cada um (prefeito) vestir a camisa da Dilma em seu município, vamos vencer essa eleição”, disse. Para ele, o presidente Lula tem o carinho e o respeito dos prefeitos por ter “governado para todos, indistintamente de cor partidária”.
Também vão estar no ato pró-Dilma os senadores Delcídio do Amaral (PT) e Valter Pereira (PMDB), o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT), além dos atuais deputados estaduais e federais do PT e os eleitos da Coligação A Força do Povo. O evento será no Hotel Vale Verde, a partir das 18h30min da próxima segunda-feira.
Padilha estará no Estado na mesma semana em que o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e o candidato a vice-presidente, deputado federal Índio da Costa (DEM-RJ). Alckmin planeja ir a Dourados na quarta-feira (20) para pedir votos a Serra e Índio deve participar de carreata em Campo Grande, na próxima sexta-feira (22).

PMDB
Sobre a intenção inicial de correr atrás do apoio do PMDB a Dilma, Dagoberto explicou que a possibilidade já não existe mais. O plano foi descartado depois de encontro das lideranças peemedebistas que, por maioria, decidiram continuar pedindo votos para José Serra. “Já imaginava que depois da divulgação das pesquisas mostrando uma disputa acirrada, o governador André Puccinelli (PMDB) anunciaria apoio ao PSDB”, comentou Dagoberto. “Como o eleitor dele é de direita, o André só apoiaria a Dilma se a vitória dela fosse notória”, completou. 

Leia Também