Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Outros detidos pela polícia na operação foram liberados

13 AGO 10 - 07h:01
O delegado que estava de plantão no Centro Especializado de Polícia (Cepol), na noite de quarta-feira, José Eduardo da Vanço, recebeu as quatro pessoas detidas pela Polícia Militar (PM) durante operação na Vila Nhá Nhá. Depois de a equipe de plantão efetuar o registro dos boletins de ocorrência, três foram liberados e o menor foragido encaminhado de volta para a Unidade Educacional de Internação (Unei).
O delegado informou que V.N.S.J., 25 anos, vai responder pelo crime de desobediência à ordem de parada do policial, também por falta de permissão para dirigir e portar drogas para consumo pessoal, crimes esses que não preveem prisão, segundo o delegado.
“Como a moto que ele estava é do pai dele e nenhuma outra motocicleta produto de roubo foi encontrada com ele, não havia motivos para que ele respondesse por roubo. Além disso, a quantidade de entorpecente que ele jogou não configura tráfico e sim, uso pessoal”, informou o delegado.

Crimes
Já L.L.M., 22 anos, também vai responder  pelos crimes de receptação de motos roubadas, pois com ele foi encontrada uma motocicleta roubada que estava sendo conduzida por um dos menores.
Além disso, conforme a polícia, L.L. também responderá pelo crime de entregar veículo automotor a pessoa não habilitada. Já um dos menores foi entregue à mãe e também vai responder por receptação e o outro será encaminhado de volta à Unei, em Ponta Porã. (KC)
Esse artigo foi útil para você?
Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

COMITIVA

OCDE conclui missão no Brasil sobre medidas de combate à corrupção

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet
FUTEBOL

Cuesta deixa escapar acerto do Internacional com o técnico argentino Coudet

ASILADO NO MÉXICO

Em novo dia de protestos, Evo diz que pode voltar à Bolívia para 'pacificar' país

BRICS

Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro

Mais Lidas

Gostaria-mos de saber a sua opinião