Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

NOVA ESTAÇÃO

Outono chega com previsão de queda de temperatura

Outono chega com previsão de queda de temperatura
20/03/2014 00:00 - DA REDAÇÃO


           O outono começa oficialmente hoje, às 12h57min (Foto: Gerson Oliveira)

Menos chuva, pequenas estiagem, períodos de frio curtos, mas com grandes variações de temperatura principalmente no meio da estação e índices de umidade relativa do ar em queda já a partir de abril. Essas são as principais tendências apontadas pelos meteorologistas para o outono de 2014 em Mato Grosso do Sul, que começa às 12h57 de hoje (horário de MS). A repoortagem está na edição de hoje (20) do jornal Correio do Estado.

Na avaliação do meteorologista do Laboratório Climatempo, Alexandre Nascimento, neste ano o outono, que na maior parte do Brasil é uma estação de transição entre o verão (estação quente e úmida) e o inverno (fria e seca) deve ter uma pequena variação, por estar sucedendo um verão extremamente seco.

“Agora em março, até voltou a chover nas áreas que sofreram estiagem e a tendência de agora em diante é que essa chuva vá diminuindo gradativamente nos próximos meses. Lá pelo fim do mês, já é esperada a passagem de frentes frias, provocando queda de temperatura principalmente no Sul do Brasil, em São Paulo e até mesmo em Mato Grosso do Sul no finalzinho de abril”, informou, durante coletiva sobre o prognóstico para a nova estação no País.  

Segundo a reportagem de Daniella Arruda, para o mês de maio, o Laboratório Climatempo prevê chuvas com regularidade normal a abaixo da média, o que para o Sudeste e Centro-Oeste (caso de MS), quer dizer que várias áreas podem passar o mês sem nenhuma chuva ou no máximo com chuvisco leve, situação bastante típica para essa época do ano. As temperaturas também podem atingir índices acima da média. 

Já em junho, frentes frias capazes de provocar chuvas poderão chegar até o Sudeste e Centro-Oeste do País, situação que já se repete há dois anos consecutivos, segundo o meteorologista do Climatempo. 

Felpuda


Vêm aumentando que só os disparos de segmentos diversos contra cabecinha coroada que, até então, acreditava voar em céu de brigadeiro. O novo coronavírus chegou, ganhou espaço, continua avançando e atualmente tem sido o melhor cabo eleitoral dos adversários. A continuar assim, sem ações mais eficazes, o estrago político poderá ser grande. Observadores mais atentos têm dito que o momento não é de viver o conto da “Bela Adormecida”. Só!