Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

COSTA RICA

Ossos podem ser de garota assassinada por ex-namorado

27 MAI 2011Por DA REDAÇÃO COM EDIÇÃO DE NOTÍCIAS00h:00

A Polícia Civil de Costa Rica iniciou, ontem (26),  escavações em um terreno localizado na saída para Figueirão (MS). Logo nas primeiras horas de trabalho foram encontrados vários ossos que podem ser humanos.

De acordo com o delegado Cleverson Alves dos Santos, os ossos serão encaminhados para perícia para averiguar se são humanos ou não.

"Nossa expectativa é encontrar um crânio, pois este é inconfundível", afirmou Cleverson.

As escavações têm como objetivo localizar o corpo da adolescente Vanessa Ferreira Nunes, pois há suspeitas que ossos da jovem tenham sido levados para o local junto com entulhos retirados da área onde foi construído o Centro de Eventos Ramez Tebet.

Pouco depois do desaparecimento de Vanessa em dezembro de 2006, trabalhadores que faziam a terraplanagem no local disseram ter encontrado dentro de sacos de lixo ossos e cabelos, provavelmente humanos. O material foi depositado, junto com entulhos no terreno localizado na saída para Figueirão.

Na época, o então delegado da Polícia Civil em Costa Rica Lúcio Fátima, suspeitou que poderiam se tratar dos restos humanos da adolescente. Diligências foram realizadas, porém o material não foi encontrado.

“Depoimentos que colhemos e denúncias que recebemos levam a crer que realmente o corpo da Vanessa foi enterrado em determinado local, provavelmente a casa no Vale do Amanhecer, onde morava o casal Robson Mendes de Oliveira e Inácia Campos e posteriormente retirado e jogado na área onde foi construído o Centro de Eventos”, afirma o delegado.

Os trabalhos contam com apoio de máquinas da Prefeitura Municipal, a pedido da Polícia Civil de Costa Rica (MS).

Entenda o Caso

A Polícia Civil de Costa Rica iniciou o trabalho de escavação na casa do casal acusado de ter assassinado Vanessa, que na época do crime tinha 15 anos e supostamente estaria grávida de três meses.

A residência, localizada no Bairro Vale do Amanhecer, em Costa Rica estava sendo construida pelo acusado na época do desaparecimento. O casal, identificado apenas como Robson e Inácia negam o crime.

De acordo com as investigações policiais a jovem foi morta por asfixia com o uso de um travesseiro, o corpo foi enterrado no interior da residência que estava em construção e foi concretado em seguida.

Testemunhas ouvidas pela polícia até agora apontam o motivo para o crime como passional uma vez que a adolescente tinha um relacionamento amoroso com o rapaz acusado pelo desaparecimento. 

Fonte: Costa Rica em Foco/PCS 

Leia Também