Oscar diz que Chelsea não quer saber nada sobre Mundial agora

Oscar diz que Chelsea não quer saber nada sobre Mundial agora
06/09/2012 05:00 - Milton Neves


Faltam cerca de quatro meses para que Corinthians e Chelsea comecem a disputar o Mundial. Desde já, os corintianos começam a colocar em prática estratégia para dar descanso a seus jogadores, os torcedores já começam a adquirir pacotes turísticos e a imprensa brasileira não para de falar da tão esperada final que ainda nem é garantida. Do outro lado, o time inglês diz não estar muito focado nesse torneio.

Quem afirma isso é Oscar, meia do Chelsea que está em treinos com a seleção brasileira para os amistosos contra África do Sul e China, que acontecem nesta sexta e na próxima segunda, respectivamente.

"O Chelsea tem muito campeonato importante para disputar e lá não tem ninguém pensando no Mundial. O Corinthians foi campeão da Libertadores pela primeira vez e, por isso, o pessoal está muito ansioso. Mas, pensando agora, sei que vai ser uma grande final se a gente chegar na final e o Corinthians também. Estaremos muito preparados", disse ele.

Atualmente, no treino da seleção, além de Oscar, Ramires e David Luiz representarão as cores do Chelsea. Já pelo lado corintiano, Paulinho e Cássio foram os convocados por Mano Menezes.

O meia revela que, na concentração, as brincadeiras e provocações já acontecem entre eles, mas que os dois lados se apóiam até a hora em que os seus respectivos times forem se enfrentar.

"A gente brinca, mas a gente se respeita. Torcemos um pelo outro enquanto eles estão no clube. Eles também torcem muito pela gente e a gente sempre brinca bastante. Tem uma rivalidade muito saudável para a gente no Japão", finalizou ele.

Antes de terem o encontro confirmado na final do Mundial, Chelsea e Corinthians precisam vencer seus primeiros jogos, dainte de asiáticos e africanos.

smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".