Sábado, 24 de Fevereiro de 2018

MÚSICA

Orquestra Sinfônica de Campo Grande se apresenta hoje

14 OUT 2010Por DA REDAÇÃO12h:44

Um concerto, hoje, às 20 horas, no Teatro Prosa Sesc, marcará os três anos de atividades da Sinfônica de Campo Grande desde sua estréia no Glauce Rocha, em outubro de 2007. Desde então, o grupo tem se apresentado ininterruptamente na capital e em dezenas de cidades do interior do Estado. Nesses três anos, a orquestra fomentou e ajudou a alavancar o cenário da música clássica em Campo Grande.

Neste período, a Orquestra desenvolveu importantes parcerias com outros grupos, como o coro da UFMS, em circulação de música de concerto, e acompanhou diversos solistas do Brasil, EUA, Suíça, Espanha e Itália.

Obras foram estreadas pela orquestra, como a Serenata para Cordas de Marco Pereira.
Dentro do repertório estiveram os maiores compositores da música de concerto: Beethoven, Mozart, Bach, Tchaikovsky, Bizet, Puccini, Rachmaninov, Vivaldi, os brasileiros Villa-Lobos, Guerra Peixe, dentre tantos outros.

Muitos jovens instrumentistas agregaram-se ao grupo aprimorando técnica e conhecimento musical. Outros se foram para outras orquestras de outras capitais. Durante o ano de 2010, a orquestra trabalhou arranjos específicos de música brasileira, incluindo a música regional de Mato Grosso do Sul, recebendo elogios de importantes personalidades culturais, a exemplo do escritor Ariano Suassuna. Tal iniciativa rendeu-lhe um convite para participar da MIMO, Mostra Internacional de Música de Olinda.

O grupo prepara-se para mais uma edição do Encontro com a Música Clássica, em novembro, do qual será a orquestra anfitriã. Este ano haverá novas estréias musicais, cursos, presença de compositores, instrumentistas e orquestras do nosso, de outros estados do Brasil e de outros países, como Argentina, Bolívia e Trinidad y Tobago, este representado por Soluna Garnes, que estará presente com o Steel Drum, um instrumento característico que ainda é pouco difundido no nosso país.

Para este concerto de hoje, no teatro do Sesc, a orquestra tocará obras musicais regionais com arranjos gentilmente cedidos pelo maestro e compositor João Guilherme Ripper, que por muito tempo conduziu a Orquestra de Câmara do Pantanal. Obras como Saudade, Comitiva Esperança, Chalana e Recuerdos de Ypacarai estarão no programa.

O público poderá apreciar a apresentação da flautista Ana Eliza Loureiro, executando um dos mais aclamados concertos de Antônio Vivaldi, O pintassilgo. Nessa obra, mais uma vez o músico veneziano afirmou-se enquanto precursor, pois até então os instrumentos de sopro faziam parte integrante da orquestra, porém ainda não tinham sido objeto de um tratamento específico como solista. Neste sentido, foi o modelo de muitos compositores, sobretudo franceses, como La Barre, Loeillet e Blavet.

Por outro lado, a obra O pintassilgo é mais um exemplo da grande capacidade do compositor veneziano para ilustrar com a música estímulos ou sensações de caráter extramusical. Neste concerto, abundam os recursos destinados a imitar o canto deste pássaro, tais como escalas e trinos de grande variação, que também constituem um grande desafio para os flautistas mais experientes.
 

Leia Também