Campo Grande - MS, sexta, 17 de agosto de 2018

CENTRO PENAL

Orgânicos da Gameleira chegam ao consumidor

13 MAI 2011Por DA REDAÇÃO00h:02

Os alimentos que são cultivados na horta orgânica instalada no Centro Penal Agroindustrial da Gameleira, de Campo Grande, já podem ser adquiridos pelos consumidores. A horta vendeu esta semana para a Estância Chic, empresa que comercializa produtos embalados aos supermercados, 26 caixas de vegetais cultivados pelos internos. A iniciativa é parte do Projeto Vida Nova, coordenado pelo Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS).

O Projeto foi elaborado com o objetivo de aproveitar a mão-de-obra dos internos. Para o proprietário da Estância Chic, Jocimar Torres França, comprar produtos oriundos de projetos sociais como o Vida Nova é também uma maneira de contribuir com a ressocialização dos internos. “A melhor forma de devolver o interno à sociedade é com o trabalho”, completou.

O cultivo dos vegetais é totalmente manual e orgânico, sem a utilização de maquinário, agrotóxicos ou defensivos. De acordo com Jocimar Torres, a Estância Chic tem preferência por produtos orgânicos regionais devido à qualidade com que os alimentos chegam ao consumidor final. “Temos interesse em colocar no mercado um produto que seja da nossa região. Os alimentos que vêm de fora, geralmente já chegam à mesa do consumidor sem qualidade. Já os vegetais comprados aqui, nós podemos certificar de que realmente são de boa procedência”, considerou.

Na horta orgânica são produzidos alimentos de rápido crescimento como alface, cenoura, abobrinha, couve, rúcula, almeirão, entre outras. Para a Estância Chic foram vendidas 15 caixas de alface, duas de beterraba, além de 79 maços de cenoura, 80 de couve-flor, 47 de cebolinha e cinco de salsinha.

O diretor da Colônia Penal Agroindustrial, Edis Vilas Boas, destaca a importância da implantação da horta no presídio para a educação dos internos. “Além das atividades de agricultura realizadas na horta, oferecemos aqui no presídio também educação profissional e religiosa. Toda ação contribui para a reeducação dos internos”, salienta.

No total, 30% de toda a produção da horta são destinadas à doação e os outros 70% são comercializados. Com quase um ano de existência, o projeto já doou cerca de cinco toneladas de verduras para instituições de caridade, por meio do Programa Mesa Brasil, do Serviço Social do Comércio (Sesc). Esta é a primeira que os produtos poderão chegar diretamente ao consumidor.

O Projeto Vida Nova é desenvolvido por meio de um convênio entre a 2ª Vara de Execuções Penal, a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e o Senar/MS.

Centro Penal

O Centro Penal Agroindustrial da Gameleira completou um ano de inauguração nesta terça-feira (10.05). Atualmente, o Presídio acolhe 543 presos com penalidades leves ou que já estejam finalizando o cumprimento de alguma pena.

Além da implantação da horta orgânica administrada pelo Senar/MS, o presídio conta com diversas ações que contribuem para a ressocialização dos internos, como capacitações na área rural e industrial e ações voltadas para a educação religiosa dos internos. A cada três dias trabalhados, o interno diminui um de sua pena.
 

Leia Também