Orcírio confirma presença na recepção a Lula

Orcírio confirma presença na recepção a Lula
18/02/2010 06:41 -


O ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos confirmou ontem que recepcionará o presidente Luiz Inácio Lula da Silva em visita amanhã à fábrica da Fíbria Internacional Paper (Incorporação da Votorantim Celulose e Papel e a Aracruz Celulose), em Três Lagoas. “Recebi telefonema da Internacional Paper convidando eu e Gilda e confirmei a presença”, informou o ex-governador. O evento colocará os dois principais pré-candidatos ao Governo do Estado – Orcírio e o governador André Puccinelli (PMDB) – ao lado de Lula e da ministra-chefe Dilma Rousseff, pré-candidata presidencial petista. Convidado por Lula através do chefe de gabinete do presidente, Gilberto de Carvalho, Orcírio esperava convite da empresa. Lembrando ter sido seu governo que articulou a instalação da fábrica, não queria fazer papel de coadjuvante no evento diante de Puccinelli. Questionado se pretende conversar com André, Orcírio descartou: “Não quero estragar a chance de recepcionar uma personalidade mundial como o Lula conversando com alguém tão nefasto como o atual governador”. Equipe de 32 pessoas do cerimon ia l presidencial chegou ontem a Três Lagoas num avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e seguiu direto para a fábrica. Também chegaram à cidade cinco carros oficiais, duas vans e um caminhão baú. O comandante da 2ª Companhia de Infantaria do Exército, major Sérgio Oliveira, recebeu a equipe e será responsável pela segurança de Lula durante a visita que deve durar duas horas.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".