Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Oposição pede no TSE cassação de Dilma por quebra de sigilos

1 SET 10 - 22h:00
     

        A coligação de partidos que apoiam a campanha presidencial de José Serra entrou nesta quarta-feira com um pedido de cassação do registro da candidata petista, Dilma Rousseff, no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pelas denúncias de quebra de sigilo fiscal de pessoas ligadas ao PSDB.

        A oposição quer que o TSE investigue a candidata do PT, a campanha presidencial petista, o secretário da Receita Federal, Otacílio Cartaxo, e o corregedor-geral da Receita, Antonio Carlos Costa D'Ávila.

        O advogado do PSDB, Eduardo Alckmin, explicou que a solicitação tem por objetivo investigar o uso da máquina pública em favor da candidatura governista à Presidência. A coligação também quer ter acesso às investigações internas já em curso na Receita Federal sobre a quebra de sigilo fiscal de tucanos.

        "Esse é um processo vil, criminoso, comprometedor, de forças políticas que se opõem a nós. Essas forças políticas estão envolvidas em torno da ministra Dilma Rousseff", afirmou o presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra, a jornalistas em São Paulo.

        Foram anexadas ao pedido de investigação reportagens veiculadas na imprensa que mostram a violação de dados fiscais de pessoas ligadas ao candidato tucano à Presidência, entre elas sua filha, Verônica Serra.

        Segundo o advogado do PSDB, "para pedir a investigação, basta a existência de indícios".

        A candidata petista afirmou que a acusação de envolvimento na quebra de sigilo não tem prova, nem fundamentos. "Não entendo as razões... aliás entendo algumas delas que levam o candidato da oposição a levar contra a minha campanha uma acusação tão leviana, uma acusação que não tem provas, nem fundamentos", afirmou Dilma em entrevista ao telejornal SBT Brasil na noite de quarta.

        A coligação de Serra alegou que Cartaxo e D'Ávila estariam dificultando as investigações da Polícia Federal sobre o caso e "tentando desvincular a quebra do sigilo fiscal de quatro pessoas ligadas ao PSDB do contexto político".

        Para Guerra, o secretário Cartaxo deveria deixar o cargo. "O secretário (da Receita) tem de ir embora. O secretário da Receita Federal do Brasil não pode mentir, não pode disfarçar e não pode se prestar a esse jogo", acrescentou.

        O vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PSDB-PR), cobrou que a investigação sobre a quebra de sigilos fiscais ocorridas na Receita Federal ocorra de modo "célere" e "imparcial", já que, na avaliação do senador, a Receita está
        

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também

Tecnologia terá recursos <BR>de R$ 56,7 milhões para inovação
PROJETO

Tecnologia terá recursos de R$ 56,7 milhões para inovação

Gravidez na adolescência <br> diminui em Campo Grande
2018

Gravidez na adolescência diminui em Campo Grande

Abandonadas, obras de 16 escolas vão custar mais
PARADAS

Abandonadas, obras de 16 escolas vão custar mais

Sob ameaça de represa, distrito de Cocais enfrenta saque
CIDADE HISTÓRICA

Sob ameaça de represa, distrito de Cocais enfrenta saque

Mais Lidas