DEFINIÇÃO

Operário tem o presidente reeleito

Operário tem o presidente reeleito
28/01/2010 22:43 - ARLINDO FLORENTINO


Antônio Vieira Cezário da Cunha foi reeleito para mais um mandato de quatro anos na presidência do Operário. O dirigente afirmou ontem que a eleição, embora envolta em muita confusão, foi consolidada, com o resultado homolado. Segundo Vieira, como apenas a sua chapa estava inscrita, a eleição foi por aclamação, com a posse acontecendo imediatamente. Embora não tenha sido confirmado, apenas seis eleitores teriam participado da votação. Além da Antônio Vieira, integram a nova diretoria do Operário Paulo Rios Júnior, vice-presidente; Marília Oliveira Nascimento, primeira secretária; Jeser Stopa Moreira, tesoureiro; Flávio Eduardo Buainain, segundo tesoureiro; Flávia Lopes Brandi, diretora social; João Moreira dos Santos, diretor de patrimônio; Alfredo Ramos, diretor de esporte profissional, e Marcelo Silva, diretor de esportes de base. Recurso Sob a alegação de que a eleição teria inúmeras irregularidades, torcedores operarianos, através da torcida organizada “Garra Operariana”, entraram com recurso na Justiça, para impedir o registro do resultado e para que a eleição seja anulada. “O estatuto do clube não foi seguido. Não foi formada uma junta eleitoral como é determinado, a lista de votantes não foi fixada em lugar nenhum e, além disso, ficamos o dia todo de plantão na frente do local onde aconteceria a votação e ninguém entrou para votar”, afirmou Américo Ferreira, presidente da torcida organizada.
smaple image

Fique por dentro

Fique sempre bem informado com as notícias mais importantes do MS, do Brasil e do mundo, direto no seu e-mail.

Quero Receber

Felpuda


Princípio de "rebelião" política no interior de MS, fomentada por grupo interessado em tomar o poder, não prosperou. Quem deveria assumir o "comando da refrega", descobriu que, além da matemática ser ciência exata, há "prova dos nove". Explica-se: é segunda suplente, pois não conseguiu votos necessários nas últimas eleições, mas assumiu o cargo porque a titular licenciou-se, assim como o primeiro suplente. Caso contrarie a cúpula, seria aplicada a tal prova e, assim, "noves fora, nada".