Fale conosco no WhatsApp

Por sua segurança, coloque seu nome e número de celular para contatar um assessor digital por Whatsapp.

Campo Grande - MS, quinta, 15 de novembro de 2018

74 anos de fundação

Operário pode confirmar sua extinção

28 JUN 2012Por esporte ágil08h:18

Um dos poucos clubes no país que foram campeões por dois Estados – Mato Grosso (4) e Mato Grosso do Sul (10) -, o Operário deve, no mês de outubro, confirmar sua extinção no futebol brasileiro. Problemas financeiros e a falta de comando da Federação Sul-Matogrossense deverão culminar no fim do famoso “Galo Carijó”, que completará no mês de agosto (dia 21) 74 anos de fundação.

Fundado por operários de uma construção civil, o Operário Futebol Clube foi profissionalizado apenas em 1938. Após ser campeão por quatro vezes do Campeonato Matogrossense (1974, 1976,1977 e 1978), o clube passou a atuar no Mato Grosso do Sul, onde continuou bem e conquistou mais dez títulos Estaduais. Sua melhor fase no cenário Nacional aconteceu em 1977, quando foi terceiro colocado do Campeonato Brasileiro.


 Além de problemas com dirigentes locais, muitos culpam a própria CBF pela atual situação do time. A decadência do Operário começou em 1987, com a criação do Clube dos 13. Desde então, o time foi “esquecido” e passou a acumular dívidas trabalhistas pelo dinheiro que não vinha da entidade que tinha o controle do futebol brasileiro.

Apesar de todos os problemas financeiros, em 2008 foi transformado “clube-empresa”, tendo maior investimento para contratar jogadores e ressurgir no cenário Nacional. A princípio os torcedores ficaram entusiasmados e até chegaram a sonhar com acesso no Campeonato Brasileiro da Série C. Mas, mesmo com o experiente Macedo (ex-Ponte e São Paulo) no elenco, sequer passou da primeira fase. Mais tarde, a parceria foi desfeita.

Sobre este difícil momento financeiro, o presidente do clube, Toni Vieira, confirmou uma reunião entre os associados para sacramentar sua extinção. O dirigente também não poupou críticas ao atual presidente da Federação Sul-Matogrossense de Futebol, Francisco Cezário de Oliveira.

O Operário foi punido em dois anos pela Federação do estado por escalar um jogador de forma irregular, além de perder seis pontos na classificação, caindo para a Segunda Divisão. Inconformado com a decisão, o Galo Carijó fez denúncias contra os rivais MS Saad e Aquidauanense, ato repudiado pela entidade local, que prontamente o tirou do quadro de filiados.

Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Leia Também